Vítimas da tragédia de Benguela choram por viver em condições precárias


Mais de 350 famílias afectadas pelas fortes chuvas que devastaram a província de Benguela, no ano de 2015, continuam a viver em tendas e em péssimas condições.

Desde a tragédia que as autoridades locais prometeram realojar os sinistrados mas até ao momento a promessa ainda não saltou dos papéis. Ao olho nu é visível angústia das vítimas que passam por dificuldades de várias ordens.

‘’O governo nos abandonou estamos a viver mal, estas tendas aquecem muito, no tempo de calor e de chuvas não conseguimos dormir’’, frisou Adelina Cassuassua.

Já o morador Domingos Gaspar, considera a situação como sendo de miséria, ‘’nós aqui vivemos como se fossemos animais não há condições nenhuma, as tendas estão todas mal. Os nossos filhos nem estão a estudar porque a escola que temos aqui só lecciona até 6ª classe. Nem os animais merecem viver deste jeito’’, desabafa.

Segundo ainda os moradores desde que ocorreu o incidente não foi entregue nenhuma residência nem sequer parcela de terra aos sinistrados, os mesmos fizeram saber que passando 8 meses da tragédia não receberam qualquer ajuda dos empresários que na altura do sucedido davam cara à TV.

Recentemente o governador de Benguela, Isaac dos Anjos, apontou como causa da paralisação das obras das habitações para os sinistrados, a falta de dinheiro no cofre da província, por isso pede ajuda dos empresários e cidadãos em geral, ‘’precisamos de apoios para acabar as urbanizações dos Cabrais, eu preciso de mais de 400 mil blocos, senhores empresários, sociedade de Benguela, eu preciso de 400 mil blocos, 400 mil blocos ao preço de 85 kz ou 95 kz, é só quanto custa o bloco, eu preciso de 400 mil blocos para acabar aquelas casas na urbanização dos Cabrais, só são 400 mil blocos’’, pediu Isaac dos Anjos.

REAÇÕES

0
   
0
   
1
   
0
   
1
   
1
   
1
   
6
   

COMENTÁRIOS NO FACEBOOK