Luta do corpo de JES: Interferência política na justiça causa demissão em Espanha


Makas sobre a transladação do corpo.

A procuradora-geral do Estado em Espanha, Dolores Delgado, apresentou na terça-feira  a sua demissão por  motivos de saúde e depois de um mandato polémico nos âmbitos político e judicial, sendo o último episódio, as criticas do Partido Popular por ter aceite um pedido do seu homologo angolano para o rápido desfecho do processo que envolve o corpo do antigo  Presidente José Eduardo dos Santos. 

Na passada sexta-feira,  Dolores Delgado  enviou uma carta ao Tribunal de Barcelona pedindo ao Juiz responsável pelo processo do corpo de JES,  para acelerar o processo 810/2022 alegando que haviam  questões diplomáticas a serem resolvidas, incluindo um funeral de estado. 

 O envio da carta foi na sequência de uma pressão exercida pessoalmente pelo  PGR de Angola, Hélder Fernando Pitta Gróz, que deslocou-se a Barcelona  e  que mereceu a indignação do  conservador  Partido Popular de Espanha. 

Durante o mandato de Delgado, a Procuradoria adotou decisões como o encerramento da investigação ao rei emérito Juan Carlos I por alegados crimes como fraude fiscal e branqueamento de capitais, com base no facto de o estatuto de limitações ter expirado ou de que o rei tinha imunidade quando era chefe de Estado, entre outras razões.

REAÇÕES

0
   
0
   
0
   
0
   
0
   
0
   
0
   
0
   

Comentários