Elisa Gaspar poderá ser destituída do cargo de bastonária dos médicos


O conselho regional Norte da Ordem dos Médicos, pedem a destituição imediata da bastonária da ordem dos médicos angolanos, por falta de transparência nas contas e não alinhamento com os interesses da classe.

De acordo ao comunicado, os associados estarão descontentes com o modo como a bastonária tem dirigido à classe médica, pois segundo os mesmos, durante o seu mandato tem surgido muita falta de transparência na gestão dos recursos da Ordem e na apresentação das contas, e denúncias de mágestão financeira.

Um dos casos mais recente e reprovado pela classe foi quando a bastonária escusou-se da marcha convocada pelo sindicato nacional (SINMEA) em homenagem a Sílvio Dala, pediatra que morreu numa esquadra policial.

 “A Ordem solidariza-se com a família do médico, a Ordem esteve presente no velório, a Ordem está triste com a forma como a notícia da morte do médico saiu, mas manifestação contra quem!? Manifestação para homenagear o médico, sim, ele trabalhou no Hospital Pediátrico, a homenagem deve ser feita no hospital e não sair à rua e fazer o que [se] quer fazer,porque há sempre muito aproveitamento político e nós somos médicos, não nos podemos misturar com política”, declarou a bastonária durante uma entrevista concedida à TPA.

A médica pediatra-neonatologista Elisa Gaspar foi eleita no passado dia 31 de Março de 2019, bastonária da Ordem dos Médicos de Angola, tendo obtido 45,5 por cento dos votos, durante o pleito, em que a nota de realce foi a abstenção de 71 por cento dos eleitores a nível nacional, onde dos sete mil médicos inscritos apenas votaram 2086.

REAÇÕES

0
   
0
   
0
   
0
   
0
   
0
   
0
   
0
   

COMENTÁRIOS NO FACEBOOK