China pode expulsar empresas alemãs se europeus proibirem 5G da Huawei
O governo chinês e a fabricante Huawei estão na ofensiva contra países aliados dos Estados Unidos na guerra comercial actualmente em andamento, sendo que no início de Dezembro, a companhia removeu componentes norte-americanos de seus dispositivos móveis e intensificou a briga para fortalecer o nome na América Latina.

P U B L I C I D A D E

P U B L I C I D A D E

Desta vez, o alvo é a Alemanha, que ameaça deixar a empresa de lado no leilão de frequências do 5G, embora que até pouco tempo atrás, a Huawei era uma das favoritas a integrar o serviço de 5G no país e no resto do continente.

Entretanto, segundo a Bloomberg, a oposição à actual primeira-ministra, Angela Merkel, começou a repensar a inclusão dos chineses por causa dos supostos perigos à privacidade gerados pela fabricante, porque os EUA acusam a marca de actuar como uma espiã governamental.

Só que a China não está disposta a esperar uma decisão e partiu para a ofensiva, ameaçando banir as montadoras alemãs do país caso o 5G da fabricante seja proibido.

"Se a Alemanha tomar uma decisão que leve à exclusão da Huawei do mercado alemão, teremos consequências. O governo chinês não ficará parado", afirmou o embaixador chinês no país, Wu Ken.

Volkswagen, Audi, BMW e Porsche são só algumas das marcas que seriam afectadas, o que abriria mercado para marcas de outros países, como a França, ou então para companhias locais.

Fonte: Tecmundo

REAÇÕES

COMENTÁRIOS