Braços direitos de Ze Du levados a julgamento arrastam irmão de Ana Paula


Na sombra da morte de José Eduardo dos Santos (JES), na passada sexta-feira, dia 8 de Julho de 2022, surgiu o despacho de acusação criminal contra os seus principais delfins, os generais Manuel Hélder Vieira Dias Júnior (“Kopelipa”) e Leopoldino Fragoso do Nascimento (“Dino”).

Trata-se de uma acusação datada de 4 de Julho, assinada por três procuradores do Ministério Público (MP) junto do Tribunal Supremo: Pedro Carvalho, Manuel Bambi e Gilberto Vunge. O despacho de acusação tem 80 páginas e 223 artigos, contando com 36 testemunhas.

O general Kopelipa é acusado de sete crimes: peculato, burla, falsificação de documentos, associação criminosa, tráfico de influências, abuso de poder e branqueamento de capitais.

Por sua vez, ao general Dino é imputada a prática de cinco crimes: burla, falsificação de documentos, associação criminosa, tráfico de influências e branqueamento de capitais.

No mesmo despacho são igualmente acusados o cidadão chinês You Haming e o advogado Fernando Gomes dos Santos. Ainda no rol dos acusados constam três empresas: China International Fund (CIF) e duas offshore, a Plansmart e a Utter Right.

Do lado das testemunhas da acusação foram elencadas figuras conhecidas, como o antigo presidente do Conselho de Administração da Sonangol, Francisco de Lemos Maria; o antigo ministro da Casa Civil, Carlos Feijó; e o então presidente da Espírito Santo Commerce (ESCOM), do Grupo Espírito Santo de Portugal.

Maka Angola

REAÇÕES

0
   
0
   
0
   
0
   
0
   
0
   
0
   
0
   

Comentários