Antiga administração do BCI acusada  de atirar nas imparidades  créditos controlados e cobráveis
Várias empresas públicas e privadas de destaque são listadas entre os devedores que terão visto os respectivos créditos convertidos em incobráveis.

Banco não responde às queixas de que vários empréstimos ainda poderiam ser cobrados e auditor externo KPMG coloca reservas, relacionadas com as imparidades, nos pareceres de 2019, 2020 e 2021.

A antiga administração do Banco de Comércio e Indústria (BCI) colocou nas imparidades créditos que estavam “devidamente documentados, com garantias e hipotecas, tornando-os incobráveis”, revelam fontes ligadas ao processo.

Admitindo que “a estratégia da administração pode ter sido a desvalorização dolosa do banco antes da privatização”, as fontes explicam, ao Valor Económico, que os créditos atirados nas imparidades são referentes a 2019 e superam os 42 mil milhões de kwanzas.

REAÇÕES

0
   
0
   
0
   
0
   
0
   
0
   
0
   
1
   

Comentários