Agentes da polícia espancam e algemam senhora com parto fresco por alegadamente ser zungueira
Uma senhora com parto de apenas um mês foi espancada por agentes da polícia nacional, por alegadamente vender na via pública.

Segundo a vítima, no momento em que os agentes davam corrida numa zungueira deslocava-se à Shoprite para fazer compras para o jantar, apercebendo-se que as suas coisas que estavam guardadas num quintal estavam a ser levadas por agentes da ordem pública, correu ao local.

‘’Eles estavam dar corrida numa senhora com bebé que vende jinguba, a senhora fugiu na casa do senhor onde estavam guardadas as coisas. Eu tinha ido comprar comida para regressar em casa, vi os polícias a entrarem na casa onde estavam guardadas as coisas, e pegaram nas coisas da senhora puseram no carro, então, eles viram as minhas coisas também ali, não tinha pessoa, pegam as minhas caixas de copo e põe no carro’’, contou a senhora em declarações ao programa Mbandário.

Em seguida a mesma foi ter com os polícias para esclarecer que as coisas que estavam ser levadas são suas mas,’’o comandante disse não se aproxima aqui, eu disse, tenho de tirar as minhas coisas, tentei tirar as minhas coisas... Me algemaram as mãos e as pernas me atiraram no carro, andei nua, mijei-me, se não me caguei já não sei! Fui pedindo socorro, eles não me deixavam levantar a cabeça’’, contou.

Posto na esquadra o comandante ordenou que ‘‘levantasse para tirar algema, disse que estava cansada, comandante, eu nasci agora, ele disse cala boca você está bêbeda, estás a sair espuma na boca. Eu disse chefe não estou bêbeda,’’ mas por medo das ameaças e para serem retiradas as algemas a senhora acabou por dizer, ‘’bebi, eu bebi’’. 

Em declarações ao programa do humorista e jornalista António Manuel Jojó, a vítima revelou que as suas coisas não foram devolvidas e conhece os agentes da polícia, e um deles é o comandante ‘’Santos’’. Comovido pelo sucedido, António Manuel Jojo, prometeu ajudar a senhora.

REAÇÕES

0
   
1
   
1
   
0
   
0
   
4
   
0
   
3
   

Comentários