Acionista acusado de falir empresa para não pagar as dívidas


O antigo administrador e acionista da empresa Plurijogos S.A, Henrique Doroteia, está a ser acusado de falir a empresa propositadamente para não pagar os salários dos trabalhadores.

A denúncia foi feita pelo actual Presidente do Conselho de Administração da referida empresa, que alegou que foram constatadas dívidas a fornecedores bastantes significativas, incumprimentos fiscais e tributarias ao Estado de vários anos em atraso, verificando claramente uma gestão danosa.    

Em um documento que Angola-Online teve acesso, Henrique Doroteia também é acusado de desvio de fundos para abertura de uma empresa concorrente, denominada, ACK. E, de dar como hipoteca o património da Plurijogos como garantia real a favor do Estado para pagamento de dívidas de (IRT, INSS e IEJ) da sua sociedade ACK.   

A Angola-Online sabe que tanto o senhor Henrique Doroteia e como os outros acionistas da sua nova sociedade já estão a ser alvos de vários processos judiciais, que foram intentados nos tribunais e junto das autoridades competentes. 

A fonte informou que o actual Conselho de Administração reitera o apelo às autoridades para que, de forma efectiva e em tempo útil, analisem as queixas-crime e o processo em curso, para que possam ser julgados e responsabilizados os verdadeiros culpados. 

A Plurijogos, S.A, empresa que detém o "Casinos de Angola", do falecido general, Kundi Paihama, pagava cerca de 50.000 dólares norte-americanos por semana aos sócios.

REAÇÕES

0
   
0
   
0
   
2
   
0
   
1
   
1
   
1
   

COMENTÁRIOS NO FACEBOOK