Crianças vivem com mães substitutas na Lunda Sul
Trinta crianças menores de 16 anos de idade abandonadas vida pelas progenitoras vivem com mães substitutas na província da Lunda Sul, informou hoje, sexta-feira, o chefe de departamento da Acção Social Família e Igualdade do Género, Venâncio António.

Os menores são criados por 19 mães substitutas, que seguiram todos os trâmites legais e através do Ministério da Justiça, órgão que tem a competência de autorizar a substituição da progenitora, prestam toda atenção e carinho.

Para ser mãe substituta, segundo o responsável que falava à Angop sobre o programa “Leite e Papa” promovido pelo Gabinete Provincial da Acção Social, Família e Igualdade do Género, deve haver disponibilidade  por parte das interessadas, condições sociais satisfatórias, sendo avaliadas pelo Conselho da Direcção da Instituição.

Até a adoção definitiva, que só pode ser autorizada pela Assembleia Nacional, os menores ficam sem os nomes dos progenitores dos documentos pessoais.

Para controlar a inserção das crianças no seio das famílias adotivas, a instituição realiza visitas domiciliares.

“Antigamente, as visitas eram feitas semanalmente, mas por falta de transporte são realizadas trimestralmente, sobretudo para aquelas crianças que vivem na capital da província”, reforçou.

Fonte: Angop

REAÇÕES

COMENTÁRIOS