Museu de Londres devolve à Nigéria 72 obras saqueadas


A decisão de devolver as peças é anunciada dois meses depois de a Nigéria e a Alemanha assinarem um acordo para devolução de centenas de peças.

O Horniman Museum and Gardens, de Londres, no Reino Unido, anunciou no domingo, 07, que vai entregar à Nigéria 72 peças, em resposta ao pedido da Comissão Nacional de Museus e Monumentos da Nigéria (NCMM), formalizado em Janeiro. Entre as peças que serão devolvidas contam-se 12 placas de latão que pertenceram ao antigo Reino do Benin, de um espólio conhecido como Bronzes do Benin, um altar, sinos, objectos cerimoniais em marfim e latão e uma chave do palácio do rei.

"O Horniman tem o prazer de poder dar este passo, e estamos ansiosos por trabalhar com a NCMM para garantir cuidados a longo prazo para estes preciosos artefactos", refere Eve Salomon, presidente do Conselho de Administração do museu, num comunicado, onde considera "moral e apropriada" a devolução das peças. Isto perante "provas muito claras" de que "estes objectos foram adquiridos através da força", tendo sido resultado de um saque à cidade do Benin, no sul da Nigéria, durante uma invasão militar britânica em 1897, de acordo com o Conselho de Administração do museu.

A decisão de devolver as peças é anunciada quase dois meses depois de a Nigéria e a Alemanha assinarem um acordo para iniciar o processo de devolução de centenas de peças do mesmo espólio, naquele que é considerado o maior esforço de um país europeu para devolver obras pilhadas. A Alemanha tem mais de 1.000 de artefactos da colecção Bronzes do Benin, divididos entre duas dezenas de museus.

A maior colecção está no Museu Etnológico de Berlim, que é considerado o maior detentor de peças depois do Museu Britânico, que possui 900 objectos do Benin, e o Museu Nacional da Escócia, que tem 74. Em Março deste ano, o Instituto Smithsonian, nos EUA, assinou um acordo para devolver à Nigéria a sua colecção completa de artefactos do Tribunal do antigo Reino do Benin, num total de 39 peças, saqueadas em 1897, como noticiou o The New York Times.

No início de Junho, o Metropolitan Museum of Art (Met) anunciou a devolução de três obras, que incluem duas placas de latão do século XVI, criadas no Tribunal do Benin, e uma cabeça de latão produzida em Ife por volta do século XIV. Estima-se que milhares de peças, esculturas e obras de arte, dos séculos XVI e XVIII, foram saqueadas por colonos britânicos que atacaram e ocuparam a Cidade do Benin, no final do séc. XIX, cidade que hoje pertence ao estado de Edo, no sul da Nigéria, onde o governo federal pretende construir um museu para albergar os tesouros recuperados.

REAÇÕES

0
   
0
   
0
   
0
   
0
   
0
   
0
   
0
   

Comentários