Uma noite para esquecer
Apesar do golo madrugador, marcado por Wilson Eduardo, aos dois minutos do apito inicial, os gambianos não baixaram a “guarda” e redimiram-se de duas derrotas consecutivas (0-1 e 2-1) sofridas em Setembro último, em jogo referente a fase de grupos de apuramento ao Mundial do Qatar/2022, em que Angola eliminou a Gâmbia

Publicidade

Publicidade

Com essa derrota, Angola começa de forma turbulenta a primeira jornada do grupo D de apuramento ao próximo Campeonato Africano das Nações, a disputar-se em 2021, nos Camarões.

Nesse jogo, os palancas negras entraram a dominar a partida e logo no minuto dois, num passe atrasado de Núrio Fortuna, Wilson Eduardo rematou e abriu o marcador a favor de Angola.

Momentos a seguir, a selecção nacional baixou de rendimento fruto da progressão e ousadia do adversário, que mostrou-se confiante e destemido mesmo a jogar fora de portas.

Comandados por um trio de atletas habilidosos (Marreh , Ceesay e Barrow), os gambianos deram o primeiro sinal de perigo aos cinco minutos, num lance em que Jallow efectua um remate cruzado, a entrada da grande área, que foi travado por Tony Cabaça.

A partida prosseguia, mas aos poucos, denotava-se uma inclinação a favor dos visitantes, que corriam mais e conseguiam “irritar” a defesa angolana que acabava por errar nos passes.

Em função do bom desempenho dos “escorpiões”, aos 17 minutos, numa jogada rápida que apanha os defesas dos palancas negras desajustados, Marreh colocou em posição privilegiado Ceesay, que em voo de cabeça igualou o placar (1-1).

Passado um minuto, Fredy viu-se incapaz de prosseguir com a bola e de longe atrasou para o guarda-redes Tony Cabaça, que visivelmente parecia ter o domínio da bola, mas escapou-lhe e o mesmo Ceesay apareceu isolado e aproveitou a falha para bisar, colocando a Gâmbia em vantagem (1-2).

A falha deixou os cerca de três mil espectadores revoltados, encenando sons de insultos a Tony Cabaça.

Seguidamente, o estádio voltou ainda ao rubro aos 30 minutos, numa jogada que Geraldo remata a meia volta e bola passa a centímetros da barra de Modou.

O mesmo Geraldo desbobinou um arranque individual, que finta três contrários e termina com cruzamento, mas na finalização Fredy atira para cima da baliza, mantendo a desvantagem de 1-2 até ao intervalo.

No reatamento, Pedro Gonçalves, inconformado com o desempenho da equipa, opta por substituição, mas o público protesta com gritos por escolherem Geraldo para ceder lugar a Fábio Abreu.

A equipa nacional procurava a “todo custo” buscar o tento de igualdade, mas o anti-jogo dos gambianos deixava o grupo inquieto.

Aos 64 minutos Gelson Dala clamava por grande penalidade, após ter driblado o seu defensor e rematou cruzado para as mãos da defesa, mas o árbitro Osiase William Koto considerou movimento legal.

Já aos 89 minutos, Marreh, fruto de uma triangulação, fixou o resultado em 1 – 3, marcando o terceiro golo da Gâmbia, o que motivou nas bancadas um sentimento de desespero e retirada prematura dos adeptos.

Esse resultado manteve-se até o apito final.

Com esse resultado, Angola vai para a segunda jornada com zero pontos, augurando uma vitória fora de casa, no jogo do próximo Domingo (17), quando defrontar o Gabão.

No grupo de Angola consta também a selecção da República Democrática do Congo (RDC), que defronta esta Quinta-feira, no seu reduto o Gabão.

Angop

REAÇÕES

COMENTÁRIOS