Propinas nas Universidades privadas serão ajustadas
De acordo com o secretário de Estado do Ensino Superior, Eugénio da Silva, os preços das propinas do ensino superior, conhecerão nos próximos tempos, um conjunto de acções que visam estabelecer seus limites máximos.
Osvaldo Sumbo Manuel, aspirante a psicólogo do trabalho

Eugénio da Silva, reconheceu existir “desregulação” no sector do ensino, facto que permite que as instituições estabeleçam as propinas como lhes convém.

Segundo o Osvaldo Sumbo Manuel, aspirante a psicólogo do trabalho, lamenta o facto desta decisão ter chegado de forma tardia e acusa algumas universidades por não possuírem qualidades básicas. 

“Já devia, pois, muitas universidades e institutos superiores andam a extorquir os cidadãos sendo que não oferecem em contrapartida qualidade em termos de ensino, em termos de infra-estreia, em termos organizacionais, etc”, fez saber.

Segundo o secretário de Estado, que falava no encontro que decorreu no Instituto Superior de Ciências da Educação (ISCED), em Benguela, salientou que a Lei de Bases do Sistema de Educação e Ensino consigna que as instituições do sector da educação e ensino como um sector cujo serviços devem ter “preços vigiados”, contrariamente ao que acontece actualmente.

“O Estado pretende uniformizar as taxas e os emolumentos, visando evitar que uns cobrem mais em detrimento de outros e com diferenças substanciais” revelou o secretário de Estado do Ensino Superior.

Eugénio da Silva, explicou ainda que a definição de preços será de acordo com as áreas e domínio científico, porquanto os cursos não têm todos os mesmos custos. “Formar um estudante em Letras e Direito não é a mesma coisa que formar um engenheiro ou um arquitecto…”, exemplificou.

Redacção | Fonte: OPaís

REAÇÕES

COMENTÁRIOS