Professores mostram quem manda apesar da divisão
Os professores de muitas escolas públicas do país, recusaram pegar o giz e apagador, devido o incumprimento do Ministério da Educação, que alega falta de patriotismo por parte dos docentes.

Começou hoje, segunda-feira, em todo país, a greve dos professores que vai se estender até dia 27 deste mês, devido o não atendimento do caderno reivindicativo há cinco anos.

Milhares de estudantes ficaram sem aulas, nas 18 províncias do país.  Em Luanda por exemplo, não teve aulas nas escolas Primária 500, conhecida por 24 de Outubro, do Iº ciclo do ensino secundário 9002 e 5111, Institutos João Beirão, Neves de Sousa e do Kapalanga, no município de Viana, IMEL, Comercial, do município de Luanda, e tantas outras.

Apesar da greve nacional, a classe docente está dividida, nas províncias de Benguela e Huíla, segundo colaboradores da Angola-Online, alguns professores não aderiram a greve, decidiram dar aulas, mas com sentimento de solidariedade e respeito dos colegas em greve.

Num comunicado de imprensa, emitido ontem, o Ministério da Educação, garante “tem dado soluções” a algumas das revindicações apresentadas pelo Sinprof, desde 2013, mas este, tem ignorado as medidas do Governo.

REAÇÕES

COMENTÁRIOS