Novo presidente da Argentina recusa empréstimo do FMI
O novo presidente eleito da Argentina, Alberto Fernandez, recusou receber o empréstimo de 11 mil milhões de dólares do Fundo Monetário Internacional, alegando ter outros problemas para resolver.

Anúncio

Anúncio

O Presidente Alberto Fernandez, anunciou nesta quarta-feira que não quer os 11 mil milhões que faltam do empréstimo total de 57 mil milhões de dólares, (51 mil milhões de euros) concedido em 2018 pelo Fundo Monetário Internacional.

“O que eu quero é deixar de pedir e que eles me deixem pagar”, disse Fernandez, que toma posse do cargo no próximo dia 10 de dezembro.

“Estou com um grande problema e vou pedir mais 11 mil milhões”, questionou Fernandez, numa entrevista à emissora local Con Vos, referindo-se à grave crise económica que afeta a Argentina.

Alberto Fernandez (peronista de esquerda), que irá suceder a Mauricio Macri (centro-direita) na presidência, declarou que o seu objetivo é “relançar a economia para poder pagar e resolver o problema da dívida com bom-senso”.

O FMI suspendeu em dezembro um desembolso de 5,4 mil milhões de dólares (cerca de 4,9 mil milhões de euros, à taxa de câmbio atual), depois de o Governo de Macri não ter cumprido determinadas metas, entre as quais as relativas à inflação.

A economia argentina está em recessão há 20 meses e o Presidente Macri teve de anunciar uma renegociação dos títulos de dívida no mercado local, que segundo o FMI, a actividade económica deste país deverá contrair 3,1% este ano.

Fonte: Correio da Kianda

REAÇÕES

COMENTÁRIOS