Morreu o primeiro Procurador-geral de Angola
Antero Alberto Ervedosa de Abreu, morreu na quarta-feira última, 14 de Março, aos 90 anos de idade, em Viana do Castelo, Portugal, por doença prolongada. Foi primeiro Procurador-geral da Republica de Angola (1977- 1993), foi co-fundador da União dos Escritores Angolanos (UEA) e da Academia de Letras e de Ciências Sociais.
Angop

Antero de Abreu nasceu na cidade de Luanda a 22 de Fevereiro de 1927, onde fez os seus estudos primários, secundário, depois de terminar o Liceu, partiu para Portugal, onde frequentou o curso de Direito nas cidades de Coimbra e Lisboa, enquanto estudava em Lisboa dirigiu da Casa dos Estudantes do Império (CEI).

Passado este tempo e terminada a sua formação regressou ao país e começou a trabalhar como advogado em Luanda, durante o período colonial trabalhou também como activista social no Departamento Cultural da Associação dos Naturais de Angola (ANANGOLA), e na Sociedade Cultural de Angola, onde, além da sua colaboração literária, esteve ligado à actividade do Cine Clube, tendo-se tornado um crítico de cinema atento, lúcido e observador.

Publicou os seus primeiros poemas no Meridiano, Boletim da Casa dos Estudantes do Império em Coimbra. Possui poemas e contos publicados em diversas revistas e páginas literárias, nomeadamente: Mensagem (CEI), Via Latina, Mensagem (ANANGOLA), Cultura (II), ABC, A Província de Angola, Itinerário, Vértice, e outras mais. Possui igualmente textos publicados em antologias, nomeadamente, Antologia Poética Angolana (1950), Poetas Angolanos (1959), Antologia Poética Angolana (1963), Mákua III (1963), No Reino de Caliban, Antologia Panorâmica da Poesia Africana de Expressão Portuguesa, Poesia de Angola (1976), Entre a Lua, o Caos e o Silêncio e a Flor (1976).

REAÇÕES

COMENTÁRIOS