Manuel Vicente e Kopelipa entregam 31% das acções ao Estado
O ex-vice-Presidente da República Manuel Vicente e o então ministro de Estado e chefe da Casa de Segurança do Presidente da República, general Manuel Hélder Vieira Dias Júnior «Kopelipa», procederam à entrega voluntária ao Estado dos 31% da participação social que possuíam no Banco Económico através da empresa Lektron.

A informação consta num comunicado do Serviço Nacional de Recuperação de Activos da Procuradoria-Geral da República (PGR), em que são divulgadas as várias empresas privadas que beneficiaram de financiamento de fundos públicos.

O Estado, por via da Sonangol, emprestou à Lektron Capital, de Manuel Vicente e Kopelipa, o montante de 125 milhões de dólares para aquisição de acções no Banco Económico, mas a empresa essa não tem cumprido o período de reembolso do crédito.

Razão pela qual, durante o processo que o Serviço Nacional de Recuperação de Activos da PGR tem realizado para aferição dos financiamentos de fundos públicos efectuados a empresas privadas, em colaboração com as instituições competentes do Estado, os dois accionistas da Lektron decidiram proceder à "entrega voluntária das participações sociais ao Estado", destaca o documento.

Quanto à Geni, outra empresa que beneficiou de empréstimo da Sonangol na ordem dos 53,2 milhões de dólares que tornaram o general Leopoldino Nascimento «Dino» dono de 19,9% do Banco Económico.

A entidade do Estado garante que a empresa já pagou 23,6 milhões de dólares e assumiu o "compromisso de proceder ao pagamento da dívida; caso não o faça, o Serviço Nacional de Recuperação de Activos instaurará imediatamente o procedimento cautelar de arresto das referidas participações sociais".

Fonte: NJOnline

REAÇÕES

COMENTÁRIOS