Internacional angolano fala do fracasso africano no Mundial da Rússia
Pela primeira vez, desde o Mundial da Espanha de 1982, uma seleção africana não consegue passar da fase de grupos do Mundo. A derrota de Senegal para a Colômbia por 1 a 0 eliminou a última esperança dos africanos.

Uma situação que segundo o antigo capitão da selecção nacional “Palancas Negras” André Macanga, atribui a falta de concentração das cinco selecções africanas, como o factor do insucesso. 

“Os africanos permitiam que o opositor jogasse, perdiam lances oportunos e optavam, sem sucesso, por resolver o jogo nos últimos instantes”, frisou o técnico que se estreou como seleccionador nacional adjunto dos Palancas Negras em 2014.

André Macanga referiu-se, também, sobre à falta de objectividade, atraso na recuperação da bola, fraco poder de remate e deficiente marcação em situação de bolas paradas, afirmando ser, assim, impossível ganhar-se jogos em alta competição.

Com o fim do Mundial'2018 que coroou a França como nova campeã mundial, o continente africano foi representado pelas seleções de Marrocos, Egipto, Senegal, Tunísia e Nigéria.

Angop

REAÇÕES

COMENTÁRIOS