Greve dos jornalistas da rádio Despertar era ilegal
A greve feita por alguns jornalistas da rádio Despertar, e que acabou com a suspensão de três jornalistas, era ilegal pelo facto do sindicato dos trabalhadores da respectiva empresa pertencente a UNITA, não ter cumprido os pressupostos para declaração da greve.

‘’Esta mesma greve que tínhamos ou queríamos fazer não era legal, porque o representante do sindicato não seguiu com todos pressupostos legais’’, revelou Brigido Hama.

Quanto ao relato que dava conta da proibição dos jornalistas entrarem nas instalações da rádio, Brigido Hama, disse,’’os colegas proibidos de entrarem nas instalações da rádio, segundo a direcção, eles estavam escalados, alguns trabalharam, outros não trabalharam e estavam a instigar aos outros colegas para não trabalharem.

Brigido Hama disse ainda que,’’ se tivéssemos todos mecanismos para cobrar, eu acho que não seria necessário desactivar os outros, enquanto que a greve não era legal.’’

O Angola-Online apurou que os jornalistas e a direcção da referida rádio já estão em conversações para resolver este problema.

REAÇÕES

COMENTÁRIOS