Agora não há dinheiro e o povo é que paga, letra de Prodígio
O rapper Prodígio, integrante do grupo Força Suprema, voltou a surpreender os seus fãs, ao lançar o seu mais recente álbum, intitulado “Castelos”, no dia 8 de Março, na Praça da Independência, em Luanda.

Em forma de homenagear as mulheres angolanas, em especial a sua mãe, o rapper disponibilizou na manhã desta sexta-feira, o seu o CD duplo, no dia alusivo as mulheres do mundo inteiro.

“Castelos” é um álbum que trás um Prodígio diferente, ou seja, um músico adulto e com os pés bem assentes no chão.

No novo CD encontramos espelhados vários problemas vividos ao longo do tempo, explicou o integrante do grupo Força Suprema, quando falava sobre a receptividade positiva que recebeu do público que se fez presente.

“Nós nunca sabemos, mas confiamos na pureza das pessoas e na crença que têm por nós. Eu tenho que fazer a minha parte, que é dar o melhor de mim, e por norma, as pessoas fazem a parte dela.

Em um trecho da música “Castelo de Lata”, Prodígio fala sobre os problemas sociais que afectam o país. “Até parece que o povo é que estraga, agora não há dinheiro e o povo é que paga”, fez saber.

Depois da Praça da Dipanda, Prodígio esta neste momento no município de Viana para as tradicionais sessões de vendas e autógrafos, na Casa da Juventude, e no domingo, na Praia de Cacuaco seguindo-se a Centralidade do Kilamba.

REAÇÕES

COMENTÁRIOS