Reflectindo: A Obsessão pelo rabo


Experiência pessoal, apreciador nato confesso de mulheres com cérebro, com capacidade argumentativa em suma com um pendor de inteligência interactiva, dispostas e abertas aos novos conhecimentos.

Contra factos não há argumentos, trago para os leitores do nosso portal uma temática julgo pertinente, profundo e bastante actual nos dias que decorrem, dentro e fora das nossas fronteiras bio-psico-sócio-cultural , basta olharmos desapaixonadamente, com o olhar realista e atencioso daremos conta de que as sociedades estão cada vez mais dinâmicas nos dias de hoje, tendo em conta a globalização e a nova era tecnológica, que acarretam indubitavelmente consigo inúmeras influências, situações e consequências sobre tudo na faixa-etária mais jovem, por estes ainda não terem o seu carácter totalmente definido e formatado.

Com essas dinâmicas sociais os indivíduos começaram a ter outras mentalidades, outros comportamentos, outras exigências umas ajustadas aos princípios e valores humanos que cinge no amor próprio e ao próximo, auto-aceitação e aceitar o outro nas suas diferenças individuais, pós bem, as exigências corporais desajustadas a natureza humana subiram de tom com elas mesmas, falo especificamente da mulher jovem sobre tudo, por via destas instalou-se portanto o problema de auto-rejeição, auto-negação pela aparência, pelo corpo e obviamente tornou-se visível a carência de auto-estima, de auto-aceitação, de auto-valorização e tantos outros autos. 

Em consequência dessas carências assistimos quer nos anónimos, bem como nas figuras públicas, a procura exacerbada "a todo custo" de um corpo perfeito em muitos casos colocando as próprias vidas em risco, que resumem em aparência perfeita, seios perfeitos e um "rabo" avantajado, para tais reajustes corporais, as mulheres submetem-se em cirurgias plásticas desafiando a lei da natureza humana, outras vão ao ginásio não com o propósito de manter-se saudáveis e ainda temos aquelas que preferem optar por receitas caseiras, injecção de substâncias no rabo e na coxa perigando as suas próprias vidas.

Ora bem, o meu principal foco nessa abordagem reflexiva e apelativa cingirá única e exclusivamente na mulher jovem angolana com maior ênfase na mulher jovem da cidade capital que também carece de auto-estima, auto-aceitação, que quanto a mim precisa de maior atenção sem descurar obviamente da mulher de outras províncias do país, que provavelmente padecem também desse problema não obstante em escala menor, "sinto-me confortado em nadar nas águas de Luanda", sinto-me evidentemente mais preparado e com bagagem argumentativa para reflectir sobre a mulher jovem de Luanda, é com essa mulher que interajo e observo dia pós dia. 

Ora bem, tenho observado diga-se em abono da verdade um comportamento desajustado, incaracterístico nessa perspectiva de algumas mulheres jovens angolanas, que desprestigia a própria mulher, desvaloriza espaço que a mulher conquistou com sacrifício, determinação, trabalho, foco, sapiência na nossa sociedade, falo de uma minoria considerável que tendem beliscar todo esse feito histórico.

O problema que me refiro prende-se com a questão das prioridades, com o aquilo que as mulheres jovens hoje julgam ser prioritários para as suas vidas (rabo ao invés dos valores morais e éticos, da inteligência...), hoje infelizmente com as dinâmicas sociais as mulheres jovens angolanas preferem gastarem muito dinheiro, despenderem muita energia física e psíquica na obtenção do corpo perfeito, da aparência perfeita, sobre tudo do RABO avantajado em detrimento do então valorizado para alguns a moral, a ética, a inteligência.

Ainda paira a falsa ideia de que basta ser bonita, avantajada para ter o mundo aos pés, para ascender profissionalmente, para ser admitida, para ser a principal atracão, quando na verdade pressuponho que agindo desse jeito as mulheres simplesmente desvalorizam-se e desrespeitam-se. O aspecto físico nunca deve constituir prioridade absoluta ao ponto de relegar ao segundo plano os valores morais e a inteligência.

Todo comportamento desestimulado, repudiado é extinto ao passo que todo comportamento estimulado, reforçado prevalece, acredito ser o momento em a sociedade sobre tudo os homens prestarem maior atenção nas mulheres que nutrem valores morais e éticos, as inteligentes, as que valem pelo carácter e não propriamente as que valem pelas curvas tal como tem acontecido, como forma de ajudarmos as mulheres a se preocuparem mais com o ser e não ter, será preciso que os homens mudem o critério de avaliação, de apreciação de uma mulher obviamente que constituí uma decisão individual, seria bom se por ventura esse critério avaliativo não se centra-se apenas nos aspectos extrínsecos, todavia que tivesse sobre tudo em conta outros aspectos intrínsecos que julgo serem mais importantes e determinante.

Tudo na vida gira em torno de escolhas e decisões pessoais e colectivas, onde indubitavelmente a sociedade joga um papel decisivo, com isso quero dizer se a sociedade decidir privilegiar as mulheres com carácter, com inteligência, obviamente que as outras se preocuparão na obtenção desses valores, enquanto não privilegiarmos continuaremos assistindo jovens mulheres que preocupam-se única e exclusivamente na obtenção do rabo, da boa aparência...

Opnião de Osvaldo Sumbo Manuel Manuel

REAÇÕES

3
   
1
   
2
   
0
   
3
   
0
   
3
   
0
   

Comentários