CONSELHO ÚTIL NÃO OBSTANTE GRATUITO


"Quem ouvi conselhos, chega a velhice"

Nós escrevemos textos e publicamos para que os outros leiam, se revêem nas nossos ideias ou ainda critiquem, opinem e se possível proporcionar mudança ao leitor, no entanto acredito ser imperioso antes de tornarmos público textos, imagens, vídeos..., censurarmos, remetermos-nos a auto-análise para que possamos determinar se convém ou não, se será útil ou não.

Se é construtivo ou não publicarmos o texto, a imagem, o vídeo, tendo em conta a repercussão dos mesmos, para que não belisquemos a nossa imagem, a nossa reputação nas redes sociais sobre tudo com o que publicamos, é aqui onde putativamente pessoas sentem-se no direito de expressar tudo o que lhes convém, não obstante é preciso respeitarmos o espaço moral e não só dos outros, julgo importante aprendermos a adoptar uma postura ponderada, responsável, pedagógica que não ponha em causa a nossa reputação enquanto seres consciente com capacidade de avaliar o bem do mal, o bom do mau, o correcto do incorrecto, e que não crie dúvidas aos leitores e ponha em causa a nossa sanidade intelectual, que a todo custo temos de preservar com atitudes coerentes aceitáveis.

Como tenho dito é difícil reconstruir uma imagem vala asquerosa, desprezível, imunda, indigna ora bem é preciso remetermos-nos a uma profunda análise para que preservemos.

O que escrevemos publicamos reflecte em grande medida o que realmente somos, representa o nosso interior, é espécie de um manifesto daquilo  que somos verdadeiramente em termos de personalidade, carácter, em função dessa exteriorização somos avaliados e julgados socialmente, "bons, maus", "capazes, incapazes", "normais, anormais"... 

Portanto no Facebook e noutras redes sociais assistimos publicações deploráveis, em abonada verdade que ferem os princípios, valores e sobre tudo identidade cultural de uma sociedade sã.

Convido a todos os leitores das minhas publicações e não só a uma profunda reflexão e repensarmos o nosso comportamento nas redes sociais bem como fora delas, lembrar que somos produto da sociedade e a sociedade é produto dos indivíduos, a sociedade só mudará para melhor desde o momento que assumirmos uma posição diferenciado e melhor, exemplar, responsável enquanto cidadãos.

Sempre acreditei que as redes sociais podem servir como um mecanismo, meio de educar, informar, sensibilizar e incentivar as pessoas as boas práticas e não meramente como um meio de diversão, de desacreditar os outros, "fofocar", passa tempo tal como muitos pensam e fazem crer.

O futuro começa hoje e agora, faça diferente sempre logo serás conotado como diferente no meio de multidão.

Osvaldo Sumbo Manuel Manuel

REAÇÕES

0
   
0
   
0
   
0
   
0
   
0
   
0
   
0
   

Comentários