ZE DU em carta: criei lobos ferozes
Uma carta pensada por Benja Satula.

Mensagem recebida de José Eduardo dos Santos, na dimensão em que se encontra hoje: 

"Dr, não me vou alongar e compreendo que na dimensão em que me encontro, que foi feito muito esforço da vossa parte para que se evitasse toda a desgraça que assentou sobre a minha família, não se sintam culpados, aqui onde estou consigo compreender que era impossível penetrar nos nossos corações, não vos peço sacrifícios, mas como Pai, embora não esteja fisicamente doí-me ver a miséria e a tristeza, todas estas desgraças que pairam sobre os meus filhos, eu fui e sempre serei o único culpado disso, gostaria que me compreendessem, que não é pura vaidade, mas é a dor que carrego, não ter permitido a união entre os meus filhos, o meu corpo pouco importa, a maior dor que carrego, é ver os meus filhos assim desavindos. A minha governação não foi coroada de coisas boas e vós sabeis, enquanto Estadista cometi muitos erros, adormeci no conforto do poder, criei lobos, (pausa…soluços…) criei lobos ferozes, são fruto da minha criação, em nada os posso julgar, mas aqui onde me encontro, a única coisa que anseio e desejo é ver os meus filhos unidos, o meu corpo não importa, ao longo destes últimos anos, a tristeza foi a minha fiel companheira, consumiu-me dia e noite, não procurem endeusar-me que isto eu não mereço, apenas quero estar em repouso, seguro que os meus filhos ponderem e abstenham-se de qualquer conflito que envolva o meu nome, não quero abrir feridas, muito mal foi feito, mas eu não quero abrir feridas, estas feridas em nada ajudariam na miséria em que o povo vive, que as abrisse num momento de tensão, deixem-me repousar, a dimensão em que me encontro é sombria e por isso preciso encontrar repouso, mesmo que vos contasse os segredos todos de Estado, nada beneficiaria o Povo, nada beneficiaria o Povo…, peço Paz, porque é a única coisa que vos posso pedir na dimensão em que me encontro Paz, eu peço Paz (…pausa…), enquanto o ódio prevalecer caminharemos errantes, perdidos, desavindos, por isso peço Paz, ponham um fim a todo esse caos que envolve o meu nome, eu peço Paz. Não torturem mais os meus filhos, eles já não me podem ver, já não me podem ouvir….por isso peço Paz (…pausa…).

Há muitos anos padeço de um cancro do qual venho recebendo tratamento, mas é bem verdade que parte de mim morreu de tristeza, mas as causas da tristeza já não importam, deixem-me estar em Paz onde estou (suspiros)…"

Que possa encontrar a Paz.

REAÇÕES

1
   
0
   
1
   
2
   
0
   
0
   
1
   
0
   

Comentários