Trocas comerciais angolanas subiram 36% com petróleo em alta e mais importações


A soma das exportações e importações nos três primeiros meses deste ano ascendeu a cerca de 8,2 biliões Kz, equivalentes a 16,2 mil milhões USD. Entre Janeiro e Março o país exportou mais, beneficiando dos preços em alta do petróleo, mas também importou mais, sobretudo bens de consumo e combustíveis.

As exportações de mercadorias angolanas cresceram 43% no I trimestre de 2022 face ao mesmo período de 2021, passando de quase 4,5 biliões Kz para 6,4 biliões Kz, enquanto as importações subiram 16% ao passar de 1,6 biliões Kz para 1,8 biliões. Contas feitas, as trocas comerciais angolanas dispararam 36% para pouco mais de 8,2 biliões Kz, segundo cálculos do Expansão com base nas Estatísticas do Comércio Externo, do Instituto Nacional de Estatísticas (INE) referentes ao I trimestre de 2022.

Quanto ao saldo comercial, este cresceu 57% face ao mesmo período do ano passado, ao passar de quase 2,9 biliões Kz para 4,5 biliões. Se as contas forem feitas em dólares, as subidas em termos percentuais são maiores das que verificadas em moeda nacional. À taxa de câmbio média dos primeiros três meses de cada ano, no I trimestre de 2022 as exportações cresceram 80% ao passar de 7,0 mil milhões USD para 12,6 mil milhões USD, um crescimento que resulta essencialmente da subida do preço do barril de crude agora com a crise provocada pela invasão russa à Ucrânia.

Por outro lado, esta crise fez disparar a inflação fora do país, devido ao aumento dos preços dos combustíveis, o que tam[1]bém contribuiu para a subida dos custos com importações em Angola, passando de 2,5 mil mi[1]lhões USD para 3,6 mil milhões USD, uma subida de 46%.

Contas feitas, no I trimestre de 2022 as trocas comerciais (exportações+importações) dispararam 71%, passando de 9,4 mil milhões USD para 16,2 mil milhões. Quanto ao saldo comercial em dólares, quase que duplicou para 9,0 mil milhões USD. O petróleo continua a ser praticamente o principal produto exportado por Angola, pois no período em referência representou 95,3% de todas as exporta[1]ções do País.

Quanto às zonas de destino das exportações angolanas, no I trimestre de 2022 manteve-se a tendência de a Ásia ser o principal cliente do País, valendo 73% das vendas angolanas, já que do total de 6,4 biliões Kz em exportações 4,7 biliões Kz seguiram para aquela região do globo.

Segue-se a Europa que ficou com 17% do valor das exportação de mercadorias angolanas. Quanto às principais zonas fornecedoras de Angola, a Europa continua a ser a zona onde Angola mais compra, já que é desse continente que vêm 58% das compras angolanas, um total de 850 mil milhões Kz em 1,8 biliões Kz no I trimestre de 2022.

Assim, contas feitas, a Ásia em termos de trocas comerciais (importações + exportações) é a principal parceira de Angola, valendo 74%, seguindo-se a Europa (17%) África (3%) América Central e do Sul (3%), América do Norte (2%) e o resto do mundo com 1%.

REAÇÕES

0
   
0
   
0
   
0
   
0
   
0
   
0
   
0
   

Comentários