Sónia Ferreira a salvação dos sem abrigos no Huambo
Depois da reportagem “Angola, um país rico com 20 milhões de pobres’’, que dividiu opiniões no seio da sociedade angolana, e provocou a acusação do proprietário da SIC em investir na destabilização de Angola. A televisão portuguesa SIC, voltou a exibir na semana finda mais uma reportagem sobre os problemas sociais do país.
Vozes de nos/blog

A mesma reportagem, aborda a vida difícil de várias crianças sem abrigos na província de Benguela, que sobrevivem levando carros. Bem como, das crianças e jovens que vivem no centro de acolhimento Okutiuka.

Fundado nos finais dos anos 90 na província do Huambo, pela activista social Sónia Ferreira, o Centro Okutiuka, acolhe crianças e jovens desfavorecidos, acusados de feitiçaria e que sofrem mal tratos.

Apesar das dificuldades, Sónia Ferreira tem feito muito sacrifício para sustentar o centro Okutiuka.

Pelo centro Okutiuka, passaram vários jovens que hoje estão formados e já constituíram a sua família, mas mesmo assim, não deixam de apoiar o centro, como é o caso de António Silva. Hoje a frequentar o quarto ano de Direito numa das universidades privadas do Huambo, António Silva, beneficiou de uma residência ofertada pelo Okutiuka, e tem trabalhado em prol do centro.

Sónia Ferreira é tratada por mãe pelas crianças, jovens do centro e pelos jovens que lá passaram, também é tratada de avó pelos filhos dos jovens que passaram no centro. "Damos graças a Deus que nos enviou uma mãe como todos gostariam de ter", diz David Carlos, em entrevista à SIC. 

O centro Okutiuka, nunca teve apoios do Governo angolano, e sobrevive de doações de algumas pessoas. Mesmo assim, Sónia, não deixa de lutar para dar de comer, pagar as propinas e comprar roupas para as crianças e jovens.

Na reportagem feita pela televisão portuguesa, SIC, é visível alegria das crianças e jovens que encontraram no centro Okutiuka, uma nova família e sossego. Mesmo com passar do tempo, Sónia Ferreira não conseguiu conter as lágrimas ao contar a história dos que vão ao Okutiuka a procura de protecção e abrigo.

REAÇÕES

1
   
0
   
1
   
0
   
0
   
0
   
0
   
0
   

Comentários