Seguranças da Sonangol ameaçam greve


O chefe-adjunto do departamento de Recursos Humanos da Bom Samba, empresa que presta serviço à Sonangol, Tomás Chimbaka, afirmou que os seus funcionários tencionam paralisar as suas actividades devido o atraso salarial de 1 ano.
Arquivo

Segundo o Novo jornal, cerca de 200 trabalhadores da empresa Bom Samba, que presta serviço de segurança à Sonangol, ameaçam paralisar os trabalhos nos próximos dias, caso a empresa não garanta a regularização dos seus salários, que estão em atraso há um ano.

"Estamos a pensar fazer uma greve dentro de alguns dias, caso não resolvam a nossa situação", afirmou um dos funcionários, que pediu o anonimato, acrescentando que alguns colegas faleceram sem verem a sua situação resolvida.

"Já não há conversa. Só queremos os nossos salários, aturámos muita coisa durante este tempo, em que não nos deram nenhuma importância e nos trataram como se fôssemos lixo", lamentou o trabalhador.

Tomás Chimbaka, chefe-adjunto do departamento de Recursos Humanos da Bom Samba, aponta a Sonangol como causadora do atraso salarial de 1 ano.

 "A empresa enfrenta problemas de liquidez, devido aos atrasos de pagamento da Sonangol. Estamos a aguardar que a empresa petrolífera cumpra a sua parte. Só assim iremos pagar os salários", adiantou o responsável.

REAÇÕES

1
   
0
   
0
   
0
   
0
   
0
   
0
   
0
   

COMENTÁRIOS NO FACEBOOK