Revús prometem tirar ‘’MPLA completo” do poder


O então famoso grupo revolucionário, denominado 15+2, que lutava para a destituição do Chefe Estado angolano José Eduardo dos Santos, garantiu hoje em comunicado, que a sua luta, ou seja, o seu foco principal é retirar o partido no poder, MPLA, do comando de Angola, alegando que o partido dos Camaradas está há mais de 40 anos no poder e por esta razão deve ser substituído.
Arquivo

"A nossa luta não era só focada na pessoa de Eduardo dos Santos, a nossa luta foi sempre contra o MPLA, porque o MPLA é que está há mais de 40 anos no poder, gastou tudo que podia nos oferecer. Acho que a nossa luta não pára”, disse o grupo.

Nito Alves, um dos integrantes do grupo, foi peremptório ao dizer que a retirada do partido que lidera o Estado angolano, está preste a acontecer.

"Dure o tempo que durar, tarde ou cedo vai deixar mesmo o poder”, revelou o activista Nito Alves.

Alegando ainda que outra luta, é a retirada do actual ministro angolano da Administração do Território, Bornito de Sousa, do cargo, depois de ser nomeado como candidato à vice-presidente da República na lista do MPLA.

"Nós pretendemos realizar uma manifestação que visa demitir Bornito de Sousa do cargo de Ministro da Administração do Território”.

Os activistas convocaram manifestações no dia 24 de Fevereiro, nas cidades de Luanda e Benguela. Para exigir a saída de Bornito de Sousa do cargo de Ministro da Administração do Território.

REAÇÕES

21
   
1
   
1
   
0
   
0
   
3
   
0
   
0
   

COMENTÁRIOS NO FACEBOOK