Produção nacional reduz importação de ovos
A aposta na produção nacional, através de iniciativas agro-industriais, vai ajudar a reduzir a importação de vários produtos ao país, declarou o ministro da Agricultura e Florestas, António Francisco de Assis.

P U B L I C I D A D E

P U B L I C I D A D E

O governante, que falava no final de uma jornada de campo à fábrica SIGA e à Fazenda Pérola do Kikuxi, disse ser uma acção (visita) que terá continuidade e tem como propósito saber do estado actual da produção nacional.

Neste sentido, apelou aos investidores nacionais a primar pelo diálogo para que os problemas enfrentados nos seus investimentos tenham soluções conjuntas.

Por outro lado, destacou a produção de saco azul para a cobertura dos cachos de banana, uma iniciativa da fábrica Siga que poderá eliminar a importação deste utensílio plástico e não só.

Em relação à Fazenda Pérolas do Kikuxi, disse ser fundamental para o programa de redução das importações de ovo, principalmente, e a criação de condições para outros sectores de actividade a nível da agricultura, como é o caso da produção do milho, atendendo a necessidade da alimentação das aves.

Para ele, a produção de 650 mil ovos/dia é pouco e apela aos investidores a apostarem mais neste segmento.

Por sua vez, a administradora da Fazenda Pérola do Kikuxi, Elisabeth Santos, afirmou que este ano o complexo vai apostar na produção de milho e de soja para baixar os custos de produção de ovo e frangos.

Acrescentou que os custos de produção são elevados, devido à aquisição de matérias-primas que representa 60 por cento do valor gasto para a produção em toda cadeia produtiva da fazenda.

A fazenda tem uma necessidade anual de 36 mil toneladas de milho e 14 mil e 400 toneladas de ração.

Em função disso, explicou que sem a produção de cereais é impossível manter a qualidade e o bom funcionamento da fazenda.

Disse estar em curso trabalhos para que a fazenda volte aos níveis de produção correspondente a capacidade instalada (um milhão de ovos/dia).

Fonte: LUSA

REAÇÕES

COMENTÁRIOS