Polícia promete responder severamente quem manifestar contra PCA da Sonangol
A manifestação contra nomeação de Isabel dos Santos, no cargo de PCA da Sonangol, que estava prevista para realizar-se na manhã deste sábado no largo 1º de Maio, em Luanda, não poderá ter lugar pelo facto do mesmo local acolher neste dia duas actividades distintas, nomeadamente: uma marcha contra a sida e uma actividade religiosa promovida pela SICA.

De acordo com o director da ordem pública da polícia em Luanda, Mateus André, os manifestantes não poderão manifestar por não serem cumpridos os pressupostos, caso os mesmos teimarem vão sentir a mão pesada das autoridades.

‘’Não é da competência da policia proibir quaisquer manifestações, o que na verdade se verifica é quando não forem reunidos alguns pressupostos, a polícia nacional aí sim pode inviabiliza-la, é o que vai acontecer amanhã por não terem sido criadas as condições necessárias para que esta presumível manifestação saia’’, disse o responsável em declarações à RNA.

Questionado caso os manifestantes comparecerem no local, Mateus André, respondeu, ‘’vamos utilizar das nossas competências constitucionais para repormos a legalidade, tranquilidade e a ordem pública’’.

Os promotores da referida manifestação enviaram ontem uma carta ao governador de Luanda, Higino Carneiro, com conhecimento do Comandante provincial da polícia em Luanda, dando a conhecer que estarão a partir das 15 horas no local da manifestação atendendo o número de cidadãos mobilizados que possivelmente irão ao local por não receberem informações da proibição da manifestação.

O director da ordem pública da polícia em Luanda, Mateus André, fez saber que os manifestantes poderão escolher um outro dia para realização da manifestação, mas desde que reúnam as devidas condições.

REAÇÕES

COMENTÁRIOS