Pesquisas: MPLA corre riscos de perder eleições autárquicas e gerais


Uma pesquisa realizada recentemente, apontou que cerca de 89% dos entrevistados não votariam em candidatos do MPLA, para as eleições autárquicas, quanto a eleição do Presidente cerca de 51% dos entrevistados continua a confiar os seus destinos em João Lourenço.

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

A maior parte da amostra salientou não haver nenhuma mudança no panorama nacional, desde o ponto de vista social com o MPLA em frente do destino do País, 24% dos entrevistados afirmou que o programa de luta contra a corrupção está a ser uma forma de desviar a atenção do povo, enquanto isso, agravam-se os problemas sociais, com a vida cada dia mais difícil que nunca.

Pelo menos 28% afirmou não existir futuro para a juventude angolana, ao passo que 30% afirmou que o actual regime está mais interessado em lutar contra a figura do anterior presidente, e desviar as atenções do povo a luta contra os marimbondos enquanto o povo sofre pior que na era colonial.

Há factos marcantes que não poderão nunca levar o MPLA à vitória actualmente, há um ano, o Presidente João Lourenço gastava cerca de 64 mil euros por hora num super avião de luxo: João Lourenço para a sua viagem à Espanha escolheu um avião que custa cerca de 320 milhões de dólares.

Neste mesmo ano, uma de suas filhas terá dado à luz numa maternidade da EUA gastando mais de 200 mil dólares. Num País em extrema crise, o Presidente da República exibe no seu pulso um dos relógios mais caros do mundo, num preço de 300. 000, 00 (Trezentos mil euros).

Com tantos erros à serem cometidos acham que iriam ganhar as eleições? Que eleições? Dos céus ou da terra? De Angola terra de nossos Pais ou de um outro planeta? É impossível tal acontecer, face ao volume de descontentamento social que aflige o povo angolano.

O badalado casamento da filha do presidente da Assembleia Nacional, onde João Lourenço foi padrinho e figura de destaque, mostrou que apesar da dita mudança de “paradigma”, há pessoas, com elevadas responsabilidades políticas, que alimentam o insulto avulso e o desdém aos angolanos menos afortunados materialmente.

Em 44 anos de independência, Angola nunca passou por momentos tão difíceis do ponto de vista económico e social quanto os actuais, Angola vive aquilo a que se chama a tempestade perfeita, ou seja, a combinação de várias adversidades: à profunda crise económica, provocada não apenas pela queda do preço do petróleo, junta-se a seca, que está a dizimar pessoas e animais no sul do país.

É num contexto destes, que João Lourenço, Presidente da República apadrinhou o casamento da filha de Fernando da Piedade, a terceira figura do Estado, decidindo assim, ambos os parceiros de arma e de poder, dar ao país uma manifestação ostensiva de desdém para com aqueles que vivem directamente na carne os efeitos da crise económica e social.

Fonte: Angola 24 Horas

REAÇÕES

2
   
0
   
0
   
1
   
1
   
1
   
0
   
0
   

COMENTÁRIOS NO FACEBOOK