Papa diz NATO provocou a Rússia para guerra na Ucrânia


Papa Francisco apontou que a NATO estava a “ladrar” às portas da Rússia e isso pode ter levado à invasão da Ucrânia por Vladimir Putin, garantindo que se ofereceu para se encontrar com o presidente russo em Moscovo.

Em entrevista ao jornal italiano ‘Corriere della Sera’, o Santo Padro refletiu sobre a agressão letal da Rússia ao seu vizinho e frisou que, embora possa não chegar a dizer que a presença da NATO nos países vizinhos “provocou” Moscovo, “talvez facilitou” a invasão.

Francisco também condenou a “brutalidade” da guerra e comparou-a à guerra civil de Ruanda na década de 1990, que resultou no genocídio da minoria tutsi. A Santa Sé pediu, desde meados de março, um encontro entre Francisco e Putin em Moscovo, revelou o Papa. “É claro que precisávamos que o líder do Kremlin alocasse uma janela de tempo. Ainda não tivemos qualquer resposta e ainda estamos a tentar, mesmo temendo que Putin não possa ou não queira ter essa reunião neste momento.” Na entrevista, Francisco descartou ir a Kiev por enquanto: “Primeiro tenho de ir a Moscovo e primeiro tenho de conhecer Putin.”

O Papa Francisco apontou ainda que cancelou uma reunião com o patriarca Kirill, chefe da Igreja Ortodoxa Russa e um dos principais apoiantes de Putin que justificou a guerra, pois ambos pensaram que seria “ambíguo” – mas num telefonema disse que alertou Kirill para não “se transformar num acólito de Putin”.

REAÇÕES

0
   
0
   
0
   
0
   
0
   
0
   
0
   
0
   

Comentários