"Não é aceitavel que o país gaste 2,400 mil milhões de dólares em transferência de salários"
O presidente da Associação Industrial de Angola defende corte de 30% nos gastos com salários.

Publicidade

Publicidade

José Severino considera que enquanto o país mantiver essa “má despesa” dificilmente as empresas vão ter acesso às divisas que precisam.

De acordo com presidente da Associação Industrial de Angola “não é aceitável que o país gaste por ano 2,400 mil milhões de dólares em transferência de salários”. 

José Severino recorda que foi feito um apelo ao governo para que até Junho do próximo ano “isto seja reduzido em 30%”. O responsável defende ainda que é prioritário o combate ao contrabando de gasóleos que representam “outros 400 milhões de dólares”.

“Mesmo na importação de bens, bens de consumo, são 200 milhões de dólares por mês. Coisas que podemos produzir (…) Já se podem encontrar matérias-primas nacionais”, concluiu.

ANGNTCS

REAÇÕES

COMENTÁRIOS