MPLA responde PRA-JA: Acusação de Chivukuvuku visa buscar simpatia pública


A direcção do MPLA refuta as acusações de Abel Chivukuvuku e diz é o primeiro partido a respeitar os direitos fundamentais.

Em entrevista a Emissora Católica de Angola, o responsável pela Comissão Instaladora do PRA-JÁ Servir Angola, Abel Chivukuvuku acusou o presidente do MPLA e da República, João Lourenço, de orientar o Tribunal Constitucional chumbar a legalização da sua nova força política.

Em reacção, o secretário para a Informação do Bureau Político do MPLA, Albino Carlos, considera as acusações do líder do PRA-JÁ infundadas. Esclarece, por sua vez, Angola é um Estado democrático e de Direito, o que implica separação de poderes. “As questões de tribunais são tratadas nos tribunais.”

Albino Carlos afirma que há políticos que gostam de se fazer passar de vítimas em “busca de simpatia pública.” No entanto, o MPLA está concentrado em buscar resoluções para mitigar o impacto negativo da covid-19.

REAÇÕES

1
   
1
   
0
   
0
   
1
   
1
   
0
   
0
   

COMENTÁRIOS NO FACEBOOK