Movicel perde 1,2 milhões de clientes durante a pandemia da covid-19


Antigos clientes apontam o dedo à fraca qualidade dos serviços de voz e de internet da operadora.

Antigos clientes apontam o dedo à fraca qualidade dos serviços de voz e de internet da operadora, mas também à tentativa de aumentar os preços dos tarifários em Setembro de 2020. Numa fase em que o mercado de 14,8 milhões de utilizadores aguarda pela entrada da Africell, 9 em cada 10 clientes são da Unitel.

A Movicel perdeu 1,2 milhões de subscritores de rede móvel celular entre o final de 2019 e o III trimestre de 2021, uma quebra de 45% face aos quase 2,7 milhões de clientes que detinha há três anos, de acordo com cálculos do Expansão com base em dados do Instituto Nacional das Comunicações (INACOM.)

Num mercado a dois, a gigante Unitel absorve q quase totalidade destes clientes (ver gráfico). A operadora cuja maioria de capital pertence à Sonangol tem consolidado a sua posição de líder de mercado ao longo dos anos. No final do III trimestre, 9 em cada 10 utilizadores de telemóveis eram clientes da Unitel, que face ao final de 2019 assistiu a um crescimento de 9,6% no seu número de clientes, que hoje é de cerca de 13,3 milhões.

A saída de utilizadores de serviços da telefónica Movicel tem sido recorrente, com vários dos antigos clientes a apontar o dedo à fraca qualidade de serviços de voz e internet como justificação para a "fuga" para a Unitel.

Como se não bastasse, a crise e a inflação tem também o seu peso nestas desistências, pelo facto de o poder de compra dos consumidores estar em queda há vários anos. Assim, há também relatos de clientes que tinham activos cartões das duas operadoras, mas que nos últimos tempos optaram por usar apenas a Unitel.

"É difícil manter as duas operadoras, nestes tempos de aperto financeiro. Somos forçados a deixar a Movicel por ter menos qualidade", justifica ao Expansão o jovem António Gaspar.

REAÇÕES

0
   
0
   
0
   
0
   
0
   
0
   
0
   
0
   

Comentários