Morador de rua morre em casa de família acolhedora


Eurico Baltazar, mais conhecido por Noé, um morador de rua, 29 anos, foi encontrado sem vida, na manhã deste sábado, num quarto da casa de uma mulher que a acolheu, desde quinta-feira, altura que o jovem se encontrava doente.

Segundo informações de moradores da rua Nicolau Gomes Spencer, onde Noé pernoitava ao relento, a mulher acolheu o jovem, depois deste ter estado doente, assistido clinicamente, na quinta-feira, no Hospital do Prenda, onde foi diagnosticado paludismo, e recebido alta no dia seguinte.

Até a noite de sexta-feira, o jovem fazia a medicação em casa da mulher, no bairro Maculusso, em Luanda, mas esta foi surpreendida, na manha de ontem, com o morador de rua sem vida quando o tentou acordar para fazer a toma dos comprimidos.

Ontem, uma equipa do Serviço de Investigação Criminal (SIC) removeu o cadáver para a Morgue Central de Luanda, enquanto a proprietária da casa onde morreu o jovem foi já ouvida pelas autoridades policiais.

Os moradores ouvidos pela equipa do Jornal de Angola explicaram que Noé era querido na zona, mas o seu grande defeito era a forte ligação com o consumo de bebidas alcoólicas.

"Ele dependia de nós, na maioria das vezes, para comer qualquer coisa digna. Caso algum vizinho não o alimentasse, ele só bebia e usava drogas e não comia. Mas, era um jovem bom e sem problemas com a vizinhança”, realçam os moradores.

Neste momento, os vizinhos asseguram que encetarem contactos com uma prima do jovem Noé, que vive na província da Lunda-Norte, de onde terá fugido, por maus-tratos, supostamente, protagonizados pela madrasta.

REAÇÕES

0
   
0
   
0
   
0
   
0
   
0
   
0
   
0
   

Comentários