″Milagre″ faz disparar execução física do PRODESI de 26,5% para 57% em duas semanas
A nova actualização indica que, desde 2018, os bancos desbloquearam 464 mil milhões Kz, contra os 409 mil milhões publicados há duas semanas. Depois da publicação da notícia do Expansão, os números cresceram exponencialmente

O Ministerio da Economia e Planeamento (MEP) actualizou esta semana os indicadores do Programa de Apoio à Produção, Diversificação das Exportações e Substituição das Importações (PRODESI) e indica que a execução física dos projectos cujos financiamentos já foram desembolsados pela banca, em quatro anos, já ronda os 57%. No entanto, a revisão em alta dos indicadores do PRODESI, surge, duas semanas depois, na sequência da notícia que o Expansão publicou na edição 701, que apontava uma execução física dos projectos com financiamentos desembolsados pela banca a rondar os 26,5%, conforme constava no site do programa.

A nova actualização indica que, desde 2018, os bancos desbloquearam 464 mil milhões Kz, contra os 409 mil milhões publicados há duas semanas. Os valores agora divulgados apontam que 1.737 projectos já receberam financiamentos, mais 281 projectos que os 1.456 anteriormente divulgados. Um verdadeiro "milagre" tendo em conta a média de projectos aprovados neste curto espaço de tempo.

Segundo o site do PRODESI, nos últimos quatro anos foram aprovados um total de 3.073 projectos, dos quais 1.737 já foram financiados, enquanto os restantes 1.336 ainda aguardam desembolsos. Já em termos monetários, os bancos que aderiram ao programa de financiamento ao sector produtivo aprovaram uma carteira de crédito de 911 mil milhões Kz, dos quais, 464 mil milhões, cerca de 51% do valor total aprovado, já foram disponibilizados. Permanecem "congelados" 447 mil milhões Kz.

Face ao final do ano passado, os desembolsos aumentaram 53,1%, passando dos 303 mil milhões Kz para 464 mil milhões em Novembro de 2022. Um dos constrangimentos à execução física dos projectos, apontados por especialistas ao Expansão, prende-se com o tempo que os bancos demoraram a aprovar os projectos. Segundo dados do site no final de 2021, a aprovação de um projecto do PRODESI pela banca demorava, em média, 21 meses, ou seja, 630 dias.

O economista Heitor Carvalho, numa breve avaliação do programa, diz que foi uma primeira tentativa de desenvolver alguma ligação com o empresariado, para perceber os entraves e resolver alguns problemas operacionais. "O problema foi, como habitualmente, o terem feito de um programa que tinha tudo para ser um teste e exemplo, o centro da actividade económica nacional. Em vez de se aceitar que os 50 produtos fossem usados para teste e extensão à restante produção interna, tudo passou a girar em torno deles, efectivamente prejudicando o resto", lembrou, acrescentando que o programa teve a contribuição de "excelentes profissionais" que conseguiram muito, mas tudo estava "desenhado para correr mal".

Quanto ao tempo que vigora o PRODESI, afirma que seria tempo para avaliar seriamente o projecto e corrigi-lo. "Em vez disto acho que já o mataram. Só falta o enterro. Porque o nosso Estado foi criado na convicção de que o voluntarismo, projectos grandiosos e novas metas é o que nos faz correr. Detesta o trabalho quotidiano e a rotina e já está toda a gente a correr para os nivel do Planagrão, Planapesca, Planaisto e Planaquilo e acho que já ninguém se lembra do PRODESI", sublinhou, tendo concluído que os procedimentos bancários são um enorme entrave, mas o principal é que o Aviso 10 do BNA é um peso enorme para a banca.

REAÇÕES

0
   
0
   
0
   
0
   
0
   
0
   
0
   
0
   

Comentários