Médico Adriano Manuel acusa MPLA de o suspender e tentar corromper
Revelações das debilidades do hospital pediátrico custaram caro ao médico. Foi atirado em casa.

O médico pediatra Adriano Manuel revela que recentemente foi chamado a sede do partido MPLA de forma a ser reenquadrado ao trabalho (no hospital pediátrico de Luanda) sob condição de não divulgar as debilidades do sector de saúde.

"Fui chamado ao bureau político para corromper o meu silêncio.[o membro] disse que podia me voltar a colocar a trabalhar e que todos problemas ligados à saúde devia informar ao partido", revela à Emissora Católica de Angola.

O médico foi suspenso há 1 ano e seis meses, sem salário. A justificação da medida é a revelação de morte de 17 crianças num único dia em consequência de falta de condições.

Adriano Manuel diz que o "não" dado ao partido o terá custado caro. Acusa mesmo de a suspensão ter mão dos camaradas. O sindicato dos Médicos ameaça fazer greve se não for reenquadrado.

REAÇÕES

0
   
1
   
0
   
0
   
0
   
0
   
0
   
0
   

Comentários