Mais de 90 igrejas ilegais podem responder processo-crime
No total, 94 igrejas que exercem actividades religiosas de forma ilegal, na província da Lunda Sul, vão ser responsabilizadas, por desobediência às autoridades, no processo de legalização das mesmas, informou nesta quarta-feira, Gabriel Tchiema, director provincial do Gabinete da Cultura.

Em declarações à imprensa, no final do encontro de carácter organizativo com os líderes religiosos da região no Saurimo, Gabriel Tchiema disse que a desobediência da decisão tomada no âmbito da Operação Transparência pode acarretar processos-crime.

Sem revelar as congregações implicadas, o responsável adiantou que uma comissão composta por técnicos da instituição, administração municipal e membros de algumas igrejas vão trabalhar no assunto e oportunamente serão apresentados os resultados.

Gabriel Tchiema aconselhou aos líderes das igrejas reconhecidas pelo Estado, cujas congregações funcionam em locais sem mínimas condições de acolhimento, a optarem pela melhoria, sob o risco de serem igualmente penalizados.

Na Lunda Sul, o Gabinete  provincial  da Cultura, Turismo, Juventude e Desportos controla 83 igrejas reconhecidas e 94 ilegais, sendo que desde o início da Operação Transparência na Lunda Sul, já foram encerradas 50 igrejas ilegais.

Fonte Angop

REAÇÕES

COMENTÁRIOS