João Lourenço só vai se despedir de JES amanhã
No funeral de Estado do ex-Presidente da República angolano, José Eduardo dos Santos (JES), o Governo reservou o domingo, 28, para uma cerimónia restrita de "deposição da urna no jazigo". É esperada a presença de vários Chefes de Estado, ex-Presidentes e ministros estrangeiros. João Lourenço também marcará presença apenas no último dia das exéquias de JES. O programa oficial contou, este sábado, com um cortejo fúnebre entre o Miramar e a Praça da República.

De acordo com um documento da Direcção Geral do Protocolo do Estado a que o Novo Jornal teve acesso, da Tanzânia é esperada a presença do antigo Presidente, Jakaya Mrisho Kikwete, de Cuba virá o vice-primeiro ministro Ricardo Cabrisas Ruíz, e da Arábia Saudita chegará o ministro da Administração do Território, Sidi Brahim Salem.

Para prestar homenagem ao ex-Presidente angolano, na cerimónia das exéquias estarão também presentes, em representação de São Tomé e Príncipe, o actual e o ex-Presidentes da República, Carlos Vila Nova e Manuel Pinto da Costa, respectivamente, assim como o primeiro ministro, Jorge Lopes Bom Jesus.

Estarão também presentes o Presidente da República Democrática do Congo, Félix Tshisekedi, e o do Congo, Denis Sassou Nguesso, tal como o Chefe de Estado da África do Sul, Cyril Ramaphosa.

Ainda de acordo com o documento da Direcção Geral do Protocolo do Estado angolano, o Presidente da República de Cabo Verde, José Maria Pereira das Neves, e o Chefe de Estado moçambicano Filipe Nyusi, são igualmente esperados nesta cerimónia restrita.

Da Guiné Bissau, vem também a mais alta figura do País, Umaro Sissoco Embaló, o mesmo acontecendo com o Zimbabué e Portugal, de onde chegam Emmerson Mnangagwa e Marcelo Rebelo de Sousa, respectivamente.

A Organização das Nações Unidas estará representada pela coordenadora residente em Angola, Zahira Virani.

Do Ruanda chega o ministro dos Negócios Estrangeiros e Cooperação, Vincent Biruta, enquanto da Guiné Equatorial, vem o vice-primeiro-ministro Clemente Engonga Nguema Onguene.

A Namíbia estará representada pelo antigo Presidente, Sam Nujoma, e pelo catual ministro da Defesa, Frans Kapofi.

Na manhã deste sábado, na Praça da República, enquanto a urna do ex-Comandante- em Chefe foi transportada por oficiais generais da Forças Armadas Angolanas e pelos comissários da Polícia Nacional (PN) até à tenda, com honras militares. Enquanto passava, centenas de pessoas choravam o antigo Presidente da República.

Ouviam-se gritos como "ele merece e vai em paz Zédu".

Depois da homenagem dos membros do Executivo, seguiu-se a dos membros dos órgãos de defesa e segurança.

Familiares de José Eduardo dos Santos também marcaram presença no local, com destaque para a ex-primeira dama, Ana Paula dos Santos, e os filhos, Danilo dos Santos, Jociana dos Santos e Eduane dos Santos.

Os filhos mais velhos do ex-Presidente, que se bateram pela posse do corpo do pai por não quererem que fosse entregue à viúva e ao Governo angolano, não estiveram presentes (ler aqui, aqui e aqui).

A urna com o corpo de José Eduardo dos Santos, que chegou a Luanda no sábado, 20, será depositada no sarcófago construído em tempo recorde pelo Governo no Memorial Dr. António Agostinho Neto (MAAN), também conhecido como o Foguetão.

O corpo do antigo Presidente foi transladado para Luanda depois de, no dia 16, um tribunal espanhol ter ordenado que fosse entregue à sua viúva, Ana Paula dos Santos, de quem estava separado há anos, pondo um ponto final à contenda na justiça entre os filhos mais velhos do ex-Presidente e o Governo angolano sobre a posse do corpo de José Eduardo dos Santos.

O ex-Presidente morreu no dia 8 de Julho, em Barcelona, na clínica onde estava internado nos cuidados intensivos, depois de ter sofrido um AVC. "Zédu", como era também conhecido em Angola, governou o País durante 38 anos. Deixou o poder em 2017 e a sua morte marcou o fim de uma era em Angola.

REAÇÕES

0
   
1
   
1
   
1
   
0
   
0
   
0
   
0
   

Comentários