João Lourenço declara que o momento é de apertar os cintos


O presidente da República João Lourenço, declarou em entrevista à Rádio Vaticano, nesta terça-feira, que o momento agora é de “apertar os cintos” e que não há retornos às reformas, referindo-se da situação económica que Angola está a viver.

Anúncio

Anúncio

O presidente João Lourenço, foi recebido em audiência pelo Papa Francisco na manhã desta terça-feira, 12, no Vaticano, sendo que a reunião teve lugar dois meses depois da assinatura do acordo bilateral, que regula as relações diplomáticas entre a Santa Sé e Luanda.

Em entrevista oficial à Rádio Vaticano após a audiência com o Papa, o Presidente angolano afirmou que o acordo trata sobretudo do "campo social", e afirmou que a Igreja Católica está presente em todo o país e, mesmo nos momentos mais difíceis, soube manter as relações com a autoridade.

Ainda aos microfones da emissora oficial do Vaticano, o chefe de Estado angolano sublinhou que as reformas no país são para continuar e que o momento é de "apertar os cintos".

"Chegámos a um ponto de não retorno com as reformas, e, mesmo com algumas turbulências, temos que seguir em frente. Enfrentamos mau tempo na realidade económica e a garantia que podemos dar agora é que o avião chegará ao seu destino em segurança. Temos que apertar os cintos, mas tenho certeza que o fim da turbulência vai chegar", declarou Lourenço.

Na tarde desta terça-feira, o Presidente angolano prestou homenagens póstumas diante do túmulo do primeiro embaixador do Reino do Congo no Vaticano. Para quarta-feira estão agendadas visitas do Presidente aos Museus Vaticanos e à Biblioteca Apostólica.

Fonte: Angola 24 Horas

REAÇÕES

2
   
2
   
1
   
2
   
0
   
0
   
0
   
0
   

COMENTÁRIOS NO FACEBOOK