Governo já gastou 316 milhões de dólares no combate a covid-19


Só em um ano.

No espaço de um ano, as medidas implementadas pelo Governo no combate à pandemia representa uma despesa de mais de 316 milhões USD (195.265 milhões Kz), segundo os relatórios de execução orçamental. No total, foram previstas despesas de 400 milhões USD e executados os referidos 316 milhões USD, entre Abril de 2020 e Março de 2021.Ao analisar a estrutura de despesas, verifica-se também que cerca de dois terços (67%) dos gastos totais foram executados em apenas duas rubricas: "Material de consumo corrente especializado", com mais de 72 mil milhões Kz e "Aquisição de máquinas, equipamentos e ferramentas" (mais de 57 mil milhões Kz).

A rubrica "Material de consumo corrente especializado", apurou o Expansão, diz respeito a todos os meios que são consumidos em contraste com "os meios fixos" (como os equipamentos, por exemplo).

No caso da Covid-19, a descrição refere-se a máscaras, barretes, aventais (de uso único), álcool-gel, antisépticos ou desinfectantes, seringas e agulhas, algodão e material similar.

Grupo Mitrelli factura 19 milhões em três meses

O Grupo Mitrelli, um conglomerado empresarial de origem israelita que se estende por diversos sectores (telecomunicações, agricultura, saúde), foi o principal fornecedor do Estado no combate à Covid-19 durante o último trimestre de 2020.

A empresa facturou cerca de 19 milhões USD (12,4 mil milhões Kz) em dois contratos. O grupo entregou ao Estado dois hospitais de campanha, com 200 camas cada, por 10,6 mil milhões Kz, valor que representa 51% da despesa total do Ministério da Saúde no último trimestre de 2020. A mesma entidade, desta vez por intermédio de uma subsidiária, a Yapama Saúde, também forneceu testes para a Covid-19 por 1,8 mil milhões Kz, valor que representa 12% da despesa executada pelo Ministério da Saúde no último trimestre de 2020. Os cálculos do Expansão basearam-se nos relatórios do Ministério das Finanças e na taxa média de câmbio do Banco Nacional de Angola no período em análise.

Entre as restantes aquisições ou financiamentos, 3,2 mil milhões Kz (21% da despesa total atribuída ao Ministério da Saúde), foram destinados à aquisição de camas, almofadas, colchões, lençóis e outros materiais fornecidos pela Vulcano Investimentos. Noutro contrato, a aquisição de material de biossegurança à C&D Products (com origem em Hong Kong) consumiu 1,8 mil milhões Kz.

REAÇÕES

0
   
0
   
0
   
0
   
0
   
0
   
0
   
0
   

Comentários