Fome leva populares a consumirem sangue recolhido nas valas de matadouros


Por causa da fome.

 

Populares oriundos de vários bairros da cidade de Moçâmedes, capital da província do Namibe, têm acorrido às valas de matadouros instaladas no município, a fim de recolherem sangue de animais para alimentação.

Os populares explicam que o recurso às valas de matadouro da cidade é uma forma de sobrevivência, devido à grave situação alimentar por que passa grande parte da região Sul do País, desde que a estiagem fez por lá morada.

Moradores dos bairros como Aida, Eucaliptos e Forte de Baixo, todos na capital da província do Namibe, são os principais frequentadores das valas onde escorrem sangue e outros detritos saídos dos matadouros.

"Isso aí dá para comer. Fervemos com sal e comemos, por causa da fome. Serve-nos para amanhã, o dia todo", contou, com alguma timidez, o adolescente Jaime, enquanto recolhia sangue para a alimentação da família.

Igualmente morador do bairro Eucaliptos, Segunda, outro adolescente que frequenta as valas de matadouros de Moçâmedes, explicou a razão de frequentar o lugar: "Não temos o que comer e usamos este sangue para não morrer à fome".

Jaime e Segunda contaram à nossa reportagem que ambos são oriundos da província da Huíla e viajaram para o Namibe para fugir da fome.

De acordo com informações recolhidas no local, para além de crianças, adultos e idosos têm recorrido às valas para recolher sangue de animais abatidos nos matadouros.

"Vêm para aqui, igualmente, jovens e mais velhos. Levam o sangue para comer. É muito triste esta situação", lamentam moradores que testemunham o dia-a-dia de famílias que recorrem às referidas valas.

Fonte: Novo Jornal

REAÇÕES

0
   
0
   
0
   
0
   
0
   
0
   
0
   
2
   

COMENTÁRIOS NO FACEBOOK