Ex-militares querem respostas imediatas
Um grupo de ex-militares manifestou-se ontem na cidade de Luanda, para reivindicar a sua colocação no corpo da Polícia Nacional

Publicidade

Publicidade

O director do Gabinete de Comunicação e Imprensa do Ministério do Interior, subcomissário Waldemar José, confirmou, ontem, através de um áudio nas redes socais, que os indivíduos em questão são ex-militares desmobilizados das Forças Armadas Angolanas (FAA), que reclamam ingresso na Polícia Nacional.

Waldemar José explicou que o ingresso na corporação requer alguns requisitos e muitos dos indivíduos que se manifestaram e que obrigou a intervenção de unidades especializadas da Polícia Nacional, não possuem os perfis adequados.


Consultado pela nossa equipe, um dos ex-militares, agastado com situação disse o seguinte; 


De vez em quanto temos ido ao Campo militar Grafanil (PM), reclamar os nossos direitos. Têm nos dito que o vosso problema é com a polícia não com as FAA. Quando vamos ao Comando Geral da Polícia, saber como está a decorrer o processo da transição nenhum dos Comandantes se pronúncia com credibilidade quando o assunto é dos ex.militares.

De acordo com oficial, agora está a ser feita a avaliação, caso a caso, uma vez que para se ingressar na Polícia Nacional, o cidadão deve ter no mínimo a 9º classe de escolaridade.

Nem todos os desmobilizados das FAA têm perfis para servirem a corporação, porque o resultado do fraco nível académico se reflecte no desempenho do agente, o que tem constituído motivo de reclamação da sociedade”, explicou.

O subcomissário disse que se pretende ter um polícia mais bem preparado, capaz de fazer um atendimento adequado ao cidadão.

Reconheceu, por outro lado, que os manifestantes têm legitimidade de reclamar, mais não de forma anárquica, criando o caos na cidade. “Veja que há cidadãos que nem conseguiram se locomover, por causa da forma como os desmobilizados se manifestaram”.

Nos dias normais, as manifestações só podem ser realizadas a partir das 19 horas e aos Sábados às 13H00, disse Waldemar José, que lamentou o facto de os indivíduos saírem à rua com uma conduta violenta, enfrentando as autoridades e transtornando o trânsito.

“Os desmobilizados foram convocados para fazer formatura na Unidade Operativa de Luanda, com vista a informá-los dos passos que deverão ser dados para o tão desejado ingresso na Polícia Nacional”, disse.

JA

REAÇÕES

COMENTÁRIOS