Especialistas alertam que é diagnosticado cada vez mais crianças com autismo
Profissionais acreditam que é preciso apostar na consciencialização do Autismo, para evitar que os indivíduos com este transtorno sejam discriminados ou maltratados.

A prática clínica demostra que se tem diagnosticado cada vez mais crianças com TEA (Transtorno do Espectrum do Autismo) em Angola, o que motivou a realização de uma conferência sobre o tema “Vamos falar sobre Autismo”, realizada nesta quinta-feira 28 Abril, pela Youin em parceria com o consultório Peandra no hotel Intercontinental em Luanda, alusiva ao mês de consciencialização do Autismo. 

O evento contou com a presença de profissionais de saúde, professores, educadores, terapeutas e pais que debateram temas como: Sinais de alarme, dificuldade no diagnóstico, importância da intervenção e inclusão na sociedade angolana de indivíduos com TEA.  

Esses profissionais acreditam que é preciso apostar na consciencialização do Autismo, para evitar que os indivíduos com este transtorno sejam discriminados ou maltratados.  Existe um grande desconhecimento da doença o que faz com que a discriminação seja uma realidade. As condições socio culturais fazem com que as crianças e indivíduos com TEA sejam muitas vezes “escondidos” e molestados, urge por isso alertar a sociedade civil, desmistificar e esclarecer os cidadãos do que é efetivamente este transtorno para que a integração de crianças e adultos com este transtorno seja uma realidade. 

Segundo o Pediatra, Dr. Leite Cruzeiro, “o Autismo tem sido debatido em Angola com maior frequência há cerca de 15 anos; desde que começaram a aparecer mais casos a sociedade passou a dar mais importância ao assunto. Não há uma definição concisa sobre o transtorno, que não é considerado uma doença, tratado como uma alteração que apesar de não ter cura, pode ser melhorado com o tempo”.  

O especialista acrescentou que “o diagnóstico precoce contribui significativamente para a eficácia do tratamento.” 

O Autismo altera a forma como uma criança vê e experiencia o mundo. Os sintomas são vários, desde a dificuldade na aprendizagem, fala, expressar ideias e sentimentos, relacionamentos, estabelecer contacto visual, até à existência de padrões repetitivos e movimentos estereotipados. As pessoas com autismo também podem apresentar um aumento de sensibilidade sensorial, podendo ocorrer em um ou em mais sentidos como a visão, tacto, audição, paladar e olfacto. 

É inegável o aumento dos casos de autismo nas últimas três décadas. Estudos epidemiológicos feitos em países desenvolvidos mostram o aumento significativo da incidência e prevalência dos distúrbios do espectro autista. 

Segundo a ONU, acredita-se que existam mais de 70 milhões de pessoas com Autismo. Afecta cerca de uma em cada cento e cinquenta crianças. É uma condição permanente. A incidência é maior nos rapazes, tendo uma relação de quatro rapazes para cada rapariga. 

De acordo com o Instituto Nacional de Estatística (INE) até 2020, estima-se a existência de 576 mil angolanos com autismo, 157 mil habitam na província de Luanda.  

REAÇÕES

1
   
0
   
0
   
0
   
0
   
0
   
0
   
0
   

Comentários