“Erro informático” volta a colocar construção do estádio da Tundavala no OGE 2022


Treze anos depois de já ter custado 70 milhões de dólares (cerca de 6,6 mil milhões de kwanzas ao de câmbio de 2009), a construção do estádio nacional da Tundavala volta a fazer parte das despesas do Orçamento Geral de Estado (OGE) de 2022, com um custo de construção de 4,6 mil milhões de kwanzas.

Além da dotação para a construção, o orçamento contempla ainda uma despesa de 212,5 milhões de kwanzas para a manutenção do mesmo estádio. A situação tem provocado contestação da sociedade. 

Fonte do Ministério das Finanças justifica a inserção da infra-estrutura no OGE em execução com uma “falha informática” na elaboração do documento. O estádio é um dos quatro construídos para acolher os jogos da Copa Africana das Nações que decorreu em 2010, em Luanda, Benguela, Cabinda e Huíla. Os orçamentos rondaram, na altura, entre 702 e 227 milhões de dólares.

Osvaldo Lunda, director do gabinete provincial da Cultura, Turismo, Juventude e Desportos da Huila, partilha da ideia de que o erro terá sido cometido aquando da elaboração do OGE. “Trata-se de reabilitação e não de construção como está exposto na dotação orçamental”. Tese, entretanto, contrariada pelo próprio documento ao contemplar tanto despesa para construção como para a manutenção. O responsável revela ainda que o valor programado para a reabilitação da infra-estrutura ainda não foi posto à disposição do governo provincial e que ainda não foi aberto o concurso para a sua intervenção.

REAÇÕES

0
   
0
   
0
   
0
   
1
   
0
   
0
   
0
   

Comentários