Embaixador da China diz que má qualidade das obras em Angola não é culpa das empresas chinesas


Culpabiliza projectos apresentados pelos donos das obras.

Gong Tao garantiu que a República Popular da China tem órgãos que fiscalizam a qualidade das obras feitas pelas suas empresas no exterior, e executam obras com diferentes níveis de qualidade.

"Tudo depende do projecto. Há projectos cujo dono prefere 7, 10 ou 15 centímetros de espessura de asfalto de diferente duração. Não adianta só culparem as empresas chinesas da má qualidade", disse o mais alto representante do Governo da China em Angola.

Segundo o embaixador, cada edifício e estradas feitas pelas empresas chinesas têm a sua qualidade e que a obra só depende do projecto entregue às empresas.

"A espessura dos asfaltos tem as suas durações e níveis. Cada estrada feita deve ter serviços para cuidar e fiscalização. Muitas das vezes não é isso que ocorre, há estradas que não são para camiões de cargas e eles passam", disse Gong Tao.

O embaixador da China proferiu estas declarações em conferência de imprensa, numa unidade hoteleira de Luanda, no âmbito das relações bilaterais existentes entre a China e Angola.

Interrogado se a cooperação entre a China e Angola se manteria caso os angolanos escolhessem, nas eleições de 24 de Agosto, outro partido para governar o País, o representante do Governo de Xi Jinping, respondeu positivamente.

Gong Tao disse, durante a conferência de imprensa, que Angola é o sexto maior exportador de petróleo para a China, atrás da Rússia, Arábia Saudita, Irão, e Amã. Importa referir que em 2017, Angola foi o segundo maior exportador de petróleo para a China.

"Logo depois do petróleo vêm as rochas e granitos. Há dois meses Angola enviou para a China 50 mil toneladas de rocha", disse.

O embaixador da China lamentou o facto de Angola não exportar café para o seu País por já não ser um grande produtor.

Gong Tao aconselhou os angolanos a olharem mais para a produção agrícola para a sua exportação.

"Os angolanos precisam de ter mais espírito de empreendedorismo. Há muita coisa aqui que os chineses precisam", assegurou.

Conforme Gong Tao, em relação às trocas comerciais entre os dois países, a China tem vendido mais em relação Angola.

Gong Tao salientou ainda que a actual dívida de Angola com a China é de 21,4 mil milhões de dólares, mas apesar disto há ainda interesse dos empresários chineses em continuar a investir em Angola nas áreas de indústria, pescas, agricultura entre outras áreas.

Na conferência de imprensa, o diplomata chinês abordou também a questão de Taiwan, tendo assegurado que "no mundo só existe uma China", e que Taiwan "é território chinês".

"A China nunca vai aceitar que Taiwan seja independente, porque pertence à China, e ninguém vai aceitar que outros ponham em causa a nossa soberania e integridade territorial, é assim na China, em Angola e no mundo", concluiu o embaixador da China em Angola.

REAÇÕES

0
   
0
   
0
   
0
   
0
   
0
   
0
   
0
   

Comentários