Director do SIC diz que a criminalidade em Angola é estável


O director-geral do Serviço de Investigação Criminal (SIC), comissário-chefe António Paulo Bendje, garantiu que a situação da criminalidade no país é estável, afirmando que “não existem grandes preocupações que possam assustar os órgãos de defesa e segurança e a população”.

Paulo Bendje, que fazia o balanço da sua visita de dois dias ao Cuando Cubango, disse que o combate diário à criminalidade tem surtido um grande efeito, para contrapor os marginais que tentam, a todo o custo, perturbar a ordem e a tranquilidade públicas.

 A título de exemplo, referiu que, na província do Cuando Cubango regista-se, diariamente, apenas dois a três crimes de furto ou roubo, graças ao controlo dos órgãos de defesa e segurança que tudo têm feito para frustrar muitas tentativas dos marginais, assim como o desmantelamento de vários grupos.

Considerou satisfatório o trabalho desenvolvido, em conjunto, pelos órgãos de defesa e segurança, situação que tem estado a contribuir para o baixo índice de criminalidade nos nove municípios que compõem o Cuando Cubango.

A preocupação actual, salientou, prende-se, principalmente, com a "agressão ambiental”, sobretudo a exploração ilegal da madeira, abate indiscriminado de animais e as queimadas anárquicas.  

REAÇÕES

0
   
0
   
0
   
0
   
0
   
0
   
0
   
0
   

Comentários