Desemprego subiu para 34% - Mais de 9 milhões de angolanos não têm emprego


O desemprego aumentou 1,3% nos últimos três meses, fixando-se em 34%. Ou seja, mais de 9 milhões de angolanos não trabalham.

De acordo com a Folha de Informação Rápida do Inquérito ao Emprego em Angola, de 31 de Outubro,publicado pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), a taxa de desemprego aumentou no terceiro trimestre para 34%, 1,3 pontos percentuais em relação aos três meses anteriores (32,7%) e 3,9 pontos percentuais face ao período homólogo(30,1%).

O INE aponta o impacto da pandemia como o principal motivo para a elevação da taxa de desemprego.

No terceiro trimestre de 2020, a população desempregada, estimada em 5,2 milhões de pessoas com 15 ou mais anos, aumentou 470. 898 pessoas em relação ao trimestre anterior e soma mais 937 540 pessoas comparativamente ao trimestre homólogo,

A população empregada com 15 ou mais anos, ou seja 10,1 milhões de pessoas, registou um aumento de 3,7% relativamente ao trimestre anterior (mais 361 442 pessoas) e 1,8% em relação ao trimestre homólogo de 2019.

A taxa desemprego situou-se em 59,7% tendo-se verificado um aumento de 1,3% em relação ao trimestre anterior (58,9%) e uma diminuição de 2,0% relativamente ao trimestre homólogo (60,9%).

No terceiro trimestre de 2020 a população empregada, que esteve ausente no trabalho, foi estimada em 195 287 pessoas, o que representa cerca de 2% da população empregada. Cerca de 30,7% estiveram ausentes por um período até três meses e mais de metade (69,3%) por mais de três meses.

A principal razão para a ausência no trabalho foi essencialmente a pandemia de Covid-19,razão apontada por 68,9% dos empregados ausentes do trabalho.

Face ao desemprego galopante, centenas de jovens vão marchar no dia 11 de Novembro para exigir do Governo a concretização de politicas voltadas ao crescimento da maior franja da sociedade angolana.

REAÇÕES

0
   
0
   
0
   
0
   
0
   
0
   
1
   
1
   

COMENTÁRIOS NO FACEBOOK