Covid-19: Assintomáticos e cidadãos provenientes do estrangeiro passam a ficar em casa


As novas regras de Situação de Calamidade estabelece a quarentena domiciliar aos cidadãos que regressam ao país e aos doentes considerados assintomáticos numa altura que o país regista 1.572 casos positivos.

Foram dadas a conhecer hoje, sábado, as novas regras de Situação de Calamidade pelo Ministro do Estado e Chefe da Casa Civil do Presidente da República, Adão de Almeida, que passam a vigorar a partir de 10 de Agosto até 8 de Setembro. No novo decreto passa a ser obrigatório o uso da máscara em todo país, inclusive no interior de viaturas particulares, o não uso é passível de multa de cinco a 10 mil kwanzas, o mesmo se aplica a quem tiver a máscara sobre o queixo.

O novo decreto implementa a quarentena domiciliar aos cidadãos provenientes do estrangeiro, desde que o teste antecipado acuse negativo. Bem como, o isolamento domiciliar aos doentes considerados assintomáticos que não estejam ou habitem com pessoa de grupo de risco. A alta é somente dada pelas autoridades de saúde. O não cumprimento dá multa de 200 a 300 mil kwanzas. Entretanto, na eventualidade de todos numa residência estarem infectados, um membro, excepcionalmente, pode sair por questões essenciais, como a compra de alimento, desde que dê a conhecer autoridades.

A ministra da Saúde, Sílvia Lutucuta, anuncia que tais medidas, relativamente a quarentena e isolamento domiciliar, entram em vigor gradualmente a partir de 15 de Agosto. No entanto, acredita no comprimento das medidas estabelecidas porque, justifica, haverá colaboração com as Comissões de Moradores e cidadãos, estes motivados a denunciar os infractores. 

Luanda e o município do Cazengo, no Kwanza Norte, continuam sob cerca sanitária, a violação dá multa de 200 a 300 mil kwanzas. Nas duas localidades a força de trabalho continua a 50% enquanto nas restantes reduz dos 100 para os 75%. O mesmo se verifica nas reuniões presenciais, Luanda pode acolher apenas de 50 pessoas, com possibilidade de aumento do número caso as autoridades autorizem, e as restantes províncias podem acolher reunião com 150 pessoas. 

A nova no regulamento, é a criação do grupo de protegidos, constituído por pessoas que sofrem de anemia falciforme, obesos e mulheres na aguarda de menor de 12 anos, os mesmos podem trabalhar via internet. Quanto as aulas, o regresso contínua sem previsão, abre-se a possibilidade realizar-se via online. Porém, é aberta nas universidades a investigação científica e defesas de final de curso. 

Os restaurantes continuam abertos das 7 às 22 horas, os bares das 7 às 19 horas e os cultos suspensos em Luanda e Cazengo. A actividade de táxi continua aberta das 6 às 22h, o mesmo se aplica aos motoqueiros.

Neste momento o país regista um total de 1.572 casos positivos, dos quais 561 recuperados 70 mortos.

REAÇÕES

2
   
1
   
1
   
0
   
0
   
0
   
1
   
0
   

COMENTÁRIOS NO FACEBOOK