Coronavírus na RDC coloca Angola em risco


Face ao primeiro caso confirmado de coronavírus na vizinha República Democrática do Congo (RDC), as autoridades sanitárias angolanas reforçaram as medidas de vigilância epidemiológica ao longo das fronteiras.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou, quarta-feira, a doença Covid-19 como pandemia.

A OMS justifica a declaração de pandemia com "níveis alarmantes de propagação e de inação".

A pandemia de Covid-19 foi detetada em Dezembro, na China, e já provocou mais de 4.500 mortos em todo o mundo.

O número de infectados ultrapassou as 124 mil pessoas, com casos registados em 120 países e territórios, incluindo Portugal, que tem 59 casos confirmados.

Angola é um dos países africanos sinalizados pela Organização Mundial de Saúde (OMS) com maior risco de contágio em África pelo novo coronavírus, segundo o diretor do programa de operações de emergência da OMS em África, Michel Yao, que considera que o vírus pode "arrebatar" os serviços de saúde africanos.

Além de Angola, África do Sul, Argélia, Costa do Marfim, Etiópia, Gana, Maurícias, Nigéria, República Democrática do Congo (RDCongo), Quénia, Tanzânia, Uganda e Zâmbia fazem parte desta lista, que Yao refere serem "países com sistemas de saúde mais fracos, que estão mal preparados para lidar" com o novo coronavírus.

Face ao avanço da pandemia, vários países têm adotado medidas excecionais, incluindo o regime de quarentena inicialmente decretado pela China na zona do surto.

A Itália é o caso mais grave depois da China, com mais de 12.000 infectados e pelo menos 827 mortos, o que levou o Governo a decretar a quarentena em todo o país.

Fonte: Lusa

REAÇÕES

0
   
0
   
0
   
1
   
0
   
0
   
0
   
0
   


COMENTÁRIOS NO FACEBOOK