Condenado a 22 anos de prisão, Jota Jota diz poderá ser liberto por Deus


Apesar de ter sido condenado a 22 anos de prisão efectiva e indemnizar cada vítima com 500 mil kzs, o cidadão angolano João de Deus, conhecido também por “Jota Jota”, médico espiritual (curandeiro) que abusava sexualmente e burlava as suas pacientes, disse que só Deus lhe vai julgar.

Depois de ser condenado a 22 anos de prisão efectiva, pelos crimes de violação sexual e burla de defraudação, pelo Tribunal Provincial de Luanda. Jota Jota, que terá de pagar 500 mil kzs as vítimas, crê na sua libertação pelo facto de não ser julgado por Deus, mas sim por homens, por isso acredita no recurso pedido pelo seu advogado ao Tribunal Supremo.

Na declaração feita à rádio Luanda, após a sua condenação, Jota Jota fez saber que deixará o trabalho de médico espiritual caso seja libertado.

As ofendidas saíram contentes da sala de julgamentos, por se fazer a justiça.

REAÇÕES

8
   
3
   
1
   
1
   
4
   
2
   
2
   
4
   


COMENTÁRIOS NO FACEBOOK